PUBLICIDADE

Colunistas


Fatos 22.07.2017

Sábado, 22/07/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Sobre impostos

Publicado nesta sexta-feira pela ONG Contas Abertas: “O presidente Michel Temer declarou que "a população vai compreender" o aumento das alíquotas do PIS/Cofins para gasolina, etanol e diesel "porque este é um governo que não mente, não dá dados falsos". A afirmação foi rebatida pelo coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, que criticou a medida. “Desviam 200 bilhões por ano praticando corrupção, deixam de aprovar no Congresso medidas anticorrupção, gastam mais do que devem inclusive via emendas milionárias para parlamentares a fim de comprar o apoio parlamentar para livrar Temer da acusação legítima por corrupção; e agora querem colocar a conta disso tudo no nosso bolso, aumentando impostos. Precisamos recuperar nossa dignidade”, disse. O procurador afirmou que toda vez que abastecer o carro vai pensar na saúde e educação dos mais pobres. “[Toda vez] que eu topar com buracos em estradas e infraestrutura precária que prejudica investimentos, vou lembrar disso tudo”, disse. Deltan também lembrou que ano que vem é eleitoral. “E em 2018 vou mostrar toda a minha compreensão do que está acontecendo e dar minha resposta contra os corruptos, como cidadão, nas urnas”, disse.”

Patos

Os patos da Fiesp voltaram às ruas depois que o governo dobrou o imposto sobre os combustíveis, numa demonstração de que terminou o romance entre empresários e governo. Não há quem compreenda decisões como estas. Deveriam ter feito a lição de casa, mas não fizeram. Ao contrário, jogam o mesmo jogo de sempre.

Ano Eleitoral

Radicalizar a democracia é a única forma de mudar este quadro. E isso pode ser feito, sim, como diz o Procurador Deltan Dallagnol, através do voto. Em 2018 será a vez da sociedade dar um basta nisso tudo. Precisamos de novos líderes e uma renovação de 100%. Não dá mais!

Sem confiança

Pesquisa divulgada na sexta-feira pela Viacom, uma empresa de mídia americana vinculada a canais voltados para o público jovem, revela que em momento de turbulência política e conflitos religiosos, apenas 9% dos entrevistados disseram confiar em líderes religiosos, e apenas 2% disseram o mesmo dos políticos de seus países. A empresa ouviu mais de 28 mil jovens de 30 países.

Uber

Chega em boa hora a proposta de discussão de aplicativos de transporte individual, feita pelo vereador Mateus Wesp, PSDB. Passo Fundo precisa se inserir neste debate e fazer jus a condição de cidade polo regional.




Fatos 21.07.2017

Sexta-Feira, 21/07/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Insegurança jurídica

O prefeito Luciano Azevedo demonstra preocupação com o açodamento com que alguns vereadores tem apresentado projetos de lei, especialmente os que alteram legislações vigentes. Adverte que, sem diálogo com o Executivo, mudanças legais (se aprovadas pela Câmara) podem prejudicar o município. O caso específico a que se refere o prefeito diz respeito ao projeto do vereador Mateus Wesp, PSDB, que está propondo uma redução do valor que dá aval para uma Parceria Público Privada de R$ 20 milhões para R$ 500 mil, alterando a lei criada no ano passado. Segundo Luciano, uma proposta desta natureza sem consultar o Executivo e se aprovada pela Câmara poderá prejudicar o município porque desconsidera processos em andamento e cria insegurança jurídica. O município não possui nenhuma PPP dentro do modelo da legislação vigente, mas está desenvolvendo um estudo para a área de iluminação pública. “Se nós estamos conversando com a iniciativa privada sobre esta área, que segurança os empresários tem diante da possibilidade de alteração da lei?” questionado Luciano. Como profundo conhecedor das atribuições e responsabilidades do legislador, não desconsidera a autonomia do Poder, mas sugere que os vereadores procurem o Executivo para debater questões que podem criar problemas futuros.

Produção

Com uma Câmara renovada, é natural que os novos vereadores queiram mostrar trabalho. Muitos projetos bons foram protocolados. A produção legislativa foi plenamente satisfatória neste primeiro semestre. Além disso, os vereadores tem em mãos o que em outras legislaturas não existia: a condição de publicizar esta produção ao vivo e cores nas redes sociais. E eles estão usando e abusando de todas elas. É uma forma de conversar diretamente com a comunidade. Legítimo, desde que a ânsia de fazer tudo em pouco tempo não se transforme em problema futuro.

Parecer

O vereador Ronaldo Rosa, SD, quer um novo parecer ao projeto de sua autoria que sugere a retirada da Caravela no trevo de acesso a Passo Fundo, no Boqueirão. É que a Procuradoria da Câmara emitiu parecer contrário, dizendo que a proposta é inconstitucional. O vereador sustenta a legitimidade que tem em legislar sobre este tema.

Não tem cabimento

* O atual governo não consegue avançar na proposta de colocar a casa em dia. Continua gastando mais do que arrecada e a conta, mais uma vez, vai para o bolso do pobre cidadão. Já está em vigor o aumento do combustível que vai desencadear uma série de outros aumentos, incluindo o feijão e arroz nosso de cada dia.

*O juiz Sérgio Moro bloqueia R$ 600 mil das contas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e mais R$ 9 milhões depositados em dois planos de previdência privada. É no mínimo intrigante tanto dinheiro nas contas de um ex-metalúrgico, sindicalista e presidente da República.

Vaga

O presidente da Famurs, Salmo Dias de Oliveira, quer participação da entidade na Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs). Por isso se reuniu ontem com o presidente Alcebíades Santini. A proposta já foi apresentada ao governo do Estado e deve avançar nos próximos meses.  




Fatos 20.07.2017

Quinta-Feira, 20/07/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Homenagens

O deputado estadual Juliano Roso, PCdoB, aproveita o recesso de 15 dias na Assembleia para convidar pessoalmente lideranças locais para a sessão solene de homenagem aos 160 anos de Passo Fundo. Será no dia 9 de agosto, dois dias depois do aniversário da cidade. O grande expediente especial deve durar cerca de 1 hora e, além do discurso de Juliano, todos os líderes de bancada poderão se manifestar. A Assembleia também vai abrigar uma exposição sobre Passo Fundo, no espaço dos municípios. A atividade está sendo organizada em parceria com o secretário de Cultura, Pedro Almeida. No dia 2 de agosto, o parlamentar estará homenageando os 50 anos da Fundação Universidade de Passo Fundo com a entrega da Medalha da 54ª Legislatura.

Cenário

Sobre 2018, o deputado Juliano Roso acredita que a definição da disputa no Rio Grande do Sul vai se dar a partir do momento que o cenário nacional estiver determinado. Antes disso, só conjecturas. 

Articulação

O tempo de política e os mandatos como deputado estadual deram ao prefeito Luciano condições de abrir portas em Brasília. Um exemplo foi a recepção que teve no Ministério do Trabalho, com o ministro Ronaldo Nogueira. A boa relação rendeu a liberação de recursos importantes para Passo Fundo, que vão beneficiar as áreas de saúde, educação e permitir a ampliação da reciclagem. 

Ambulatório de rua

O vereador Saul Spinelli, PSB, está empenhado no projeto Ambulatório de Rua juntamente com o Dr. Júlio Stobb, Diretor do curso de medicina da Universidade Federal e o secretário de saúde Luis Artur Rosa Filho. A ideia é ter um veículo estruturado com equipe técnica para ir até moradores de rua, fazer a abordagem e atendimento. A articulação envolve hospitais, Faculdades e Prefeitura.

Petição

Um grupo de profissionais liberais assinou ontem a ação popular contra o presidente Michel Temer, na Justiça Federal. São eles: Júlio Caetano Ramos, Raní de Souza, Julio Cesar Pacheco, José Ernani de Almeida, Emerson Brotto, Débora da Silva Machado, e Júlio Cesar Perez.




Fatos 19.07.2017

Quarta-Feira, 19/07/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

Na mira

O presidente da Famurs, Salmo Dias, disse ontem ao presidente da Assembleia Legislativa, Edegar Pretto que a Famurs vai acompanhar e manifestar opinião em relação a todos os projetos de lei de interesse dos municípios que tramitarem no Parlamento. “Teremos uma pessoa responsável para monitorar todos os temas que interferem no dia a dia das prefeituras em tramitação no parlamento gaúcho”, explicou. “Com essa medida, podemos fazer com que os projetos possam atender às demandas dos municípios e, consequentemente, da população”, complementou. A estratégia da Famurs está correta, porque todas as matérias tratadas no Legislativo tem impacto direto nos municípios, que é onde a vida acontece de verdade.

Cerco

De passagem por Brasília para tratar de assuntos do município, o prefeito Luciano Azevedo ouviu do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, a importância de uma candidatura a deputado federal no ano que vem. Siqueira pediu que Luciano avalie a possibilidade da concorrer. O cerco ao prefeito, que tem repetido que não é candidato, ultrapassa fronteiras.

Absolvido

O prefeito de Mato Castelhano Jorge Agazzi pode seguir tranquilo o governo. Ontem à tarde foi absolvido do TRE na última ação que ainda constava. Foi denunciado por captação de voto e foi absolvido por 6X0.

Corede Produção

O Conselho Regional de Desenvolvimento da Produção (Corede Produção) realiza, na sexta-feira, 21, a Assembleia Regional Ampliada da Consulta Popular. Será no anfiteatro da Faculdade de Direito da Universidade de Passo Fundo, às 9h15. Na pauta, estão a apresentação dos projetos definidos nas Assembleias Municipais da Consulta Popular 2017, a definição dos projetos que farão parte da cédula de votação na etapa seguinte e a definição dos critérios de distribuição dos recursos. 

Indicação

A coordenadoria regional do PMDB indicou dois nomes para ocupar o cargo de Coordenador Regional da Educação. Eles foram submetidos a votação de militantes, prefeitos e vereadores de 23 municípios. Foram indicados à Casa Civil o professor Elton Luiz de Marchi, que é o atual presidente da Câmara de Mato Castelhano e a professora Verônica Zanandrea, que está interinamente como coordenadora. O cargo está vago desde que o PDT deixou a base do governo e o titular Santos Olavo Misturini se afastou. 

 

 

 




Fatos 18.07.2017

Terça-Feira, 18/07/2017 às 06:00, por Zulmara Izabel Colussi

De novo....

Um universitário que estuda em Passo Fundo (portanto passa a semana por aqui) mas mora em Serafina Corrêa, pagou R$ 20,00 numa corrida de táxi que partiu da estação rodoviária até o centro da cidade. Questionado, o motorista informou ao passageiro que trata-se de uma tarifa fixa definida pelos motoristas, eliminando a necessidade de acionar o taxímetro. Considerando que a passagem de ônibus de Passo Fundo a Serafina é de R$ 18,75 e que com R$ 20,00 um motorista pode abastecer até seis litros de gasolina e fazer uma média de 10 quilômetros por litro, em média, a tarifa paga pelo passageiro da Rodoviária até o centro, foi altamente lucrativa para o motorista em questão. O assunto não é novo e chega a ser uma chatice de tanto que repetimos aqui.

Concorrência

Uma empresa que coordena um aplicativo de caronas está de olho no mercado de Passo Fundo. O CEO do Garupa, João Marcondes Vargas Trindade, e o Diretor Comercial, Antônio Matos estarão em Passo Fundo para apresentar à comunidade mais essa facilidade de mobilidade urbana. O aplicativo já está regulamentado em várias cidades do Brasil. O município precisa urgente de alternativas. Se a fiscalização não funciona, quem sabe a concorrência não faz bem ao mercado. Porque vai sobreviver quem trabalhar de forma honesta e atender bem ao cliente.

Ressalva

O tema já foi e voltou nesta coluna inúmeras vezes. Não canso de dizer que a grande maioria dos taxistas atua de forma correta e são estes que sobreviverão a uma eventual concorrência.

Fora de cogitação

As especulações em torno do ingresso do comunista Aldo Rebelo no PSB chegaram também aos pagos. Mas, não procedem. A coluna perguntou ao deputado Juliano Roso, PCdoB, se a especulação tinha algum fundo de verdade e ele respondeu: “As pessoas confundem a minha amizade e aliança com o prefeito Luciano Azevedo, com filiação partidária. Em setembro vou completar 25 anos no PCdoB e farei uma grande festa estadual em Passo Fundo”. Comunista de carteirinha, não está nos planos do deputado estadual uma mudança de partido.

Ação

O grupo de articulistas do Observatório Jurídico Liberté vai assinar a ação popular contra o presidente Michel temer, na Justiça Federal, em Passo Fundo. O ato será nesta quarta-feira, às 13h30. A JF fixou prazo de 90 dias para que qualquer cidadão promova o andamento de uma ação popular ajuizada contra o presidente Michel Temer, o ministro Eliseu Padilha, o senador Romero Jucá (PMDB-RO) e os ex-ministros Geddel Vieira Lima e Henrique Alves. 




PUBLICIDADE


PUBLICIDADE