PUBLICIDADE

Esporte


Ricardo Machado vence MTB 12 Horas

Publicada em: 19/11/2017 - 15:25

Segundo ele, o momento mais tenso da prova foi a partir das 21h, quando a chuva ficou mais intensa e com raios

Ricardo Machado vence MTB 12 Horas

Ciclista esteve em Itupeva (SP)

Crédito: Divulgação

O ciclista da Universidade de Passo Fundo (UPF) Ricardo Machado sagrou-se campeão do MTB 12 Horas, em Itupeva (SP). A prova de mountain bike cross country olímpico foi realizada no último sábado, 18 de novembro, com a largada marcada para às 12h, no estilo Le Mans, no qual os competidores precisaram correr a pé um trecho de 100m até onde ficaram suas bicicletas, para, então, entrar no circuito pedalando.
 
A competição foi disputada num trajeto de trilhas de 6,2 km por volta, e os 300 inscritos, vindos de todo o Brasil, Estados Unidos e Europa, deveriam correr o maior número de voltas até às 24h. Machado largou no meio do pelotão e foi mantendo um ritmo forte até às 16h, quando precisou parar por fortes dores causadas por câimbras. O atleta fez um alongamento e massagem nas pernas para continuar. Venceu o imprevisto e manteve forte o pedal. Às 17h, teve início a chuva, e o percurso, que já era difícil, com várias subidas e descidas com pedras, raízes e erosões, ficou ainda mais complicado, mas o ciclista da UPF estava prevenido e usou pneus para a chuva e para a lama. Sua maior preocupação foram as pastilhas de freio, pois, com o clima chuvoso, elas gastam mais rápido. Dessa forma, Ricardo freou com inteligência e utilizou os dois freios ao mesmo tempo para evitar um maior desgaste.
 
Segundo ele, o momento mais tenso da prova foi a partir das 21h, quando a chuva ficou mais intensa e com raios. “As trilhas ficaram quase intransponíveis e se tornaram muito perigosas, pois mesmo usando faróis, diminuiu muito a visibilidade, mas prossegui firme até às 24h, momento no qual completei 23 voltas que totalizaram 142 km. A sensação de alegria, satisfação e realização foi muito grande”, comemorou Machado.
 
Ricardo também relatou a sua preparação para o desafio. “Treinei e estava muito focado. Sabia que não era só uma prova de resistência, mas também de força mental e psicológica. Teria que superar a dor, a fadiga e o desgaste físico, além de saber usar a bike, evitando quedas, freadas bruscas e erros ao passar por lugares mais difíceis. No final, deu tudo certo! Valeu todo esforço e dedicação”, finalizou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE