PUBLICIDADE

Estado


CCR vence leilão da Rodovia de Integração do Sul

Publicada em: 01/11/2018 - 14:43

O valor de pedágio apresentado foi de R$ 4,30, deságio de 40,53%

CCR vence leilão da Rodovia de Integração do Sul

Crédito: ppi.gov.br/Agência Brasil

O Grupo CCR, antiga Companhia de Concessões Rodoviárias, venceu o leilão realizado hoje (1º) pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para a concessão, por 30 anos, da Rodovia de Integração do Sul, no Rio Grande do Sul. O certame começou às 10h45 na B3, bolsa de valores de São Paulo.

 

Ganhou o menor valor de pedágio apresentado pela CCR de R$ 4,30 (deságio de 40,53%). O teto para o leilão tinha valor de R$ 7,24. Outras proponentes foram a Infraestrutura Brasil Holding RS 4,43 (deságio de 38,73%), Ecorodovias Concessões e Serviços S.A. R$ 4,55 (deságio de 37,02%), Consórcio Sacyr R.S. R$ 5,25 (deságio de 27,43%) e Consórcio Integra Sul R$ 5,27 (deságio de 27,20%).

 

O ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, abriu o leilão destacando a criação de um ambiente regulatório com transparência e processo com regras que estimulam a concorrência nas concessões leiloadas pelo governo. “Este leilão tem uma característica que é o primeiro nessa nova etapa com rodovias. Exatamente onde a experiência de concessão vem tendo os maiores problemas. Os técnicos tiveram de se debruçar com muito cuidado sobre os seus estudos”, disse.

 

Trecho

No trecho de 473,4 quilômetros (km), que atravessa 32 municípios gaúchos, passam 24 mil veículos por dia. Foram concedidos a BR-101/RS, na divisa com Santa Catarina até o entroncamento com a BR-290; a BR-290/RS do entroncamento com a BR-101 até o km 98,1; a BR-386 do entroncamento com a BR-285/377 até a BR-470/116 e a BR-448 do entroncamento com a BR-116/118 até a BR-290/116. Serão implementadas sete praças de pedágio.

 

Os investimentos estão previstos em R$ 7,8 bilhões, sendo R$ 53 milhões voltados a estudos e pesquisas de desenvolvimento tecnológico e R$ 31 milhões para segurança viária, com programas de prevenção a acidentes e educação no trânsito. A empresa vencedora ainda terá custos operacionais de R$ 5,6 bilhões em conservação, operação e monitoramento.

 

A vencedora do leilão terá, obrigatoriamente, que duplicar integralmente a rodovia, numa extensão de 225,2 quilômetros até o 18º ano do prazo da concessão. Estão previstos também a construção de 78,8 quilômetros de faixas adicionais para ampliação da capacidade, 85 novos dispositivos de interconexão, 32 passarelas de pedestres, 75,5 km de vias marginais, 59 melhorias em acessos e a iluminação nas travessias urbanas e nas vias marginais. Serão gerados 4 mil empregos diretos e 8 mil indiretos.

 

O sistema rodoviário abrange os municípios de Torres, Dom Pedro de Alcântara, Três Cachoeiras, Três Forquilhas, Terra de Areia, Maquiné, Osório, Santo Antônio da Patrulha, Glorinha, Gravataí, Cachoeirinha, Porto Alegre, Canoas, Nova Santa Rita, Montenegro, Triunfo, Tabaí, Taquari, Fazenda Vila Nova, Bom Retiro do Sul, Estrela, Lajeado, Marques de Souza, Pouso Novo, São José do Herval, Fontoura Xavier, Soledade, Mormaço, Tio Hugo, Victor Graeff, Santo Antônio do Planalto e Carazinho.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE