PUBLICIDADE

Estado


Eduardo Leite assume o governo do RS

Publicada em: 01/01/2019 - 19:00

Novo governador manteve discurso de união para superação das dificuldades enfrentadas pelo Estado

Eduardo Leite assume o governo do RS

Leite é o governador mais jovem eleito na disputa de outubro e um dos nomes do três nomes do PSDB bem-sucedidos nos embates para administrações estaduais

Crédito: Divulgação

O governador Eduardo Leite (PSDB) foi empossado para ocupar o Palácio Piratini pelos próximos quatro anos em cerimônia na Assembleia Legislativa. Também foi oficializado o vice da chapa, Ranolfo Vieira Júnior (PTB). O tucano derrotou no 2ª turno com 53,6% dos votos José Ivo Sartori (PMDB), que concorria à reeleição. Leite é o governador mais jovem eleito na disputa de outubro e um dos nomes do três nomes do PSDB bem-sucedidos nos embates para administrações estaduais, juntamente com João Dória, em São Paulo, e Reinaldo Azambuja, em Mato Grosso do Sul.

O novo titular do Palácio Piratini destacou a necessidade de se adaptar a alterações na sociedade que envolvem do sistema político à introdução de novas tecnologias. “Estamos vivendo uma mudança de eras na economia, na política, nos valores, nos modelos e nas relações sociais. Esse tempo novo precisa de novos olhares, mais contemporâneos, construtores da inovação como ferramenta da gestão pública que construa novas convergências”, defendeu.

A nova gestão responderá a esses desafios governando “online e on time”, tirando o gabinete do Palácio e incorporando novas formas de gestão pública. Defendeu abertura e interlocução constante com os demais poderes do estado. Leite destacou a necessidade de qualificar a educação como forma de transição entre o mundo analógico e os desafios dos novos tempos e que deve reduzir burocracia e destravar a inovação e a competitividade do setor produtivo do estado. Segundo o tucano, a socialdemocracia ancorada nos princípios de livre mercado e da proteção social “não está morta”.

Também disse que deverá andar próximo da Assembleia para que os avanços sejam maiores que os conflitos. "Quero construir o RS que quase não se perceba de quem partiu a iniciativa. Quero que os gaúchos melhorem de vida. Serei um servo da melhor iniciativa", garantiu. Ainda em tom agregador, Leite defendeu a diminuição das diferenças. “Vejo o Rio Grande do Sul muito maior do que nossas diferenças. Quero construir consensos estratégicos autênticos e convergir no senso comum. Quero construir vitórias coletivas e não derrotas individuais. Fazer estado é uma obra coletiva e exige sacrifícios coletivos", disse.

Finanças

O mandatário comentou que a nova gestão deve valorizar as ideias em comum que permitam fazer o Estado crescer e estender isso a todos a população. Essas ações devem considerar soluções para a crise fiscal do estado, aprofundada nos últimos anos. “O Rio Grande do Sul apresenta indicadores de dívida consolidada e despesas com pessoal acima dos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal”, citou.

O novo governador mencionou as obrigações em atraso tanto com servidores públicos como para fornecedores. A estimativa é que o deficit em 2019 seja de R$ 4 bilhões. E informou que o déficit no sistema previdenciário do estado estaria na casa dos R$ 11 bilhões. "Quanto mais tivermos o comprometimento de todos, mais rápido sairemos da crise", assinalou.

Servidores estaduais

Leite se dirigiu aos servidores do Estado para dizer que vai buscar construir soluções mantendo sempre canais de diálogo. O aceno se dá após anos de conflito entre os trabalhadores e a administração estadual e frente ao desafio da fragilidade das contas públicas para garantir o pagamento dos salários e outras obrigações. O novo titular do Palácio Piratini anunciou que na primeira reunião do secretariado, marcada para hoje, serão anunciadas medidas emergenciais de contenção de gastos com pessoal e custeio. Mas que as medidas estruturais serão discutidas e aprovada nos primeiros meses da gestão. Após a cerimônia na Assembleia Legislativa, Eduardo Leite se dirigiu ao Palácio Piratini, onde ocorreu a transmissão do cargo do governador juntamente com o político que deixa o posto, José Ivo Sartori.

Perfil

Formado em Direito, Leite foi vereador em Pelotas, uma das maiores cidades do estado. Em 2012 foi eleito prefeito do município, mas não concorreu à reeleição em 2016. Após uma temporada fora do país, voltou e assumiu a presidência da legenda no estado.

 

PUBLICIDADE



PUBLICIDADE