PUBLICIDADE

Geral


Móveis feitos com recursos próprios beneficiam casas de acolhimento

Publicada em: 17/07/2017 - 06:30

A Prefeitura de Passo Fundo busca de maneira sustentável atender as necessidades de equipamentos públicos em alguns setores com o trabalho realizado pelo Setor de Carpintaria, vinculado à Secretaria de Habitação. Exemplo disso é a confecção de mais de cerca de 90 móveis para as três casas de acolhimento mantidas pelo município. Entre os móveis confeccionados pelos funcionários da carpintaria, que realizam toda a mão de obra, estão: beliches, armários, mesas, sapateiras, gaveteiros, balcões, baús, bancos, escrivaninha. Os novos móveis qualificam a estrutura para um melhor atendimento dos serviços prestados. 


Para a secretária adjunta de Cidadania e Assistência Social, Elenir Chapuis, melhorar a estrutura material das casas de acolhimento é melhorar a vida das crianças e adolescentes acolhidos. O acolhimento acontece por violação grave de direitos, uma situação peculiar de rompimento ou fragilização de vínculos. As casas de acolhimento passam a ser a residência deles, o ambiente familiar pelo tempo em que durar o acolhimento, portanto, é muito importante poder oferecer o melhor para eles”, destacou ela. 

As três casas de acolhimento mantidas pelo município atendem, em média, 65 crianças e adolescentes. Ainda, há o Serviço de Família Acolhedora e o Programa de Guarda Subsidiada. Os principais motivos para acolhimento são: negligência, abandono, violência física e/ou psicológica e violência sexual. Os serviços de acolhimento para crianças e adolescentes em Passo Fundo integram a Coordenadoria de Proteção Social Especial – CPSE Alta Complexidade, da Secretaria de Cidadania e Assistência Social. 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE