PUBLICIDADE

Geral


Instituto histórico completa 64 anos

Publicada em: 26/04/2018 - 15:15

Em solenidade, história do município é preservada em acervo com mais de 16 mil documentos

Instituto histórico completa 64 anos

Dr.Ari Veríssimo da Fonseca (in memoriam) na galeria dos ex-presidentes como um dos grandes homenageados da noite

Crédito: Divulgação

O Instituto Histórico de Passo Fundo (IHPF) comemorou 64 anos em solenidade na última terça-feira, dia 24 e contou com a presença de mais de 100 pessoas entre autoridades e amigos do Instituto. Com um acervo que reúne mais de 16 mil páginas de documentação, entre outros documentos avulsos e fotografias, o acervo também possui objetos que retratam épocas diferentes da cidade. Agora, o próximo passo é o projeto “Museu a Céu Aberto: turismo, educação e cultura”.

 

O IHPF é o mais antigo instituto do interior do Rio Grande do Sul em atividade, de acordo com o presidente Fernando Severo de Miranda, o que, para ele, reflete a história e a luta do Instituto para se manter em pé durante todos esses anos. O evento comemorou também um ano da sua sede definitiva, que leva o nome do Dr. Carlos e Celina Madalosso. “A grande homenagem foi ao Dr. Pedro Ari Veríssimo da Fonseca e ao Dr. Alberi Falkembach Ribeiro, essas duas personagens da história do Instituto participaram ativamente na sua reestruturação”, lembrou Miranda. O Dr. Verissimo (in memoriam) fez parte do IHPF por quase 50 anos e foi o grande estruturador do local em termos de acervo. “Ele publicou várias obras hoje clássicas e com todo esse trabalho e pela importância histórica que ele tem pro instituto, por unanimidade, foi colocado seu nome e fotografia na sala da presidência.”, informou. “O Dr. Alberi foi o grande estruturador na parte jurídica e abrigou o Instituto em tempos difíceis, no seu próprio local de trabalho, e também participa da casa há quase 50 anos, então por unanimidade também inauguramos a sala de reunião com o seu nome.”, informou o presidente.

 

Na solenidade, foi realizada uma amostra do acervo, que além de documentos e fotografias conta com peças e objetos, como mapas, atas e plantas da cidade. De acordo com o presidente, o Instituto possui atas manuscritas que datam dos primeiros dez anos do município desde que foi instituído, em 1857. “Esses são documentos extremamente importantes pra história da cidade. O acervo fica no Instituto Histórico à disposição de pesquisadores, basta agendar, e durante essa noite então a amostra foi muito visitada e muito aplaudida”, contou Fernando.

 

Próximos projetos
Em abril, o IHPF em parceria com a Universidade de Passo Fundo e com o Arquivo Histórico Regional, idealizou o projeto “Museu a Céu Aberto: turismo, educação e cultura”. O projeto consiste na reedição do guia do Cemitério Vera Cruz, um dos mais antigos da cidade, fundado no ano de 1902. O presidente do Instituto conta que o projeto foi vencedor de um dos prêmios Funcultura, que vem acompanhado de uma verba de R$ 10 mil reais para serem aplicados no desenvolvimento do projeto. “O primeiro guia foi reeditado já há 4 anos, e ele vai permitir que as pessoas que visitem [o cemitério] tenham em mãos o guia, como existe em outras cidades do mundo inteiro, sendo possível visitar a estuária, de alto valor artístico, assim como os personagens da história.”, explica Fernando.

 

Além desse projeto, um dos objetivos do Instituto é preservar a memória da cidade através da gravação de entrevistas filmadas com pessoas que possuem um conhecimento antigo a ser compartilhado sobrea a cidade. Fernando informa que a lista de pessoas a serem entrevistadas é extensa, o que vai ajudar a levar adiante pesquisas e manter a história não só de maneira escrita, mas também através de relatos. Em breve, também será realizada uma exposição sobre o Aeroclube de Passo Fundo, com acervo que é mantido pelo Arquivo Histórico e conta com a ajuda de estudantes voluntários do curso de História.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE