PUBLICIDADE

Cidade


Movimento no aeroporto dobra, mas obras não tem previsão

Publicada em: 12/02/2014 - 09:05, por Daniela Wiethölter Lopes/ON

Reforma na caixa d´água foi adiada

Movimento no aeroporto dobra, mas obras não tem previsão

Crédito: Arquivo/ON

Somente no último ano quase 80 mil passageiros passaram pelo Aeroporto Lauro Kortz de Passo Fundo. O número representa um acréscimo de mais de 50% no número de passageiros embarcados e desembarcados em relação a 2012, quando o terminal registrou a passagem de 52.580 pessoas. Se comparar com o ano de 2011, a diferença é superior a 80%. 

Os dados fazem parte de um balanço divulgado na semana passada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).  A variação, de 50,6% no ano passado, é bem superior à média de crescimento registrada pelos aeroportos brasileiros, que foi de apenas 1,49%%. No total, 91,8 milhões de usuários passaram pelos terminais do país, frente aos 90,5 milhões em 2012.

Aqui o crescimento no volume de passageiros que embarcaram e desembarcaram pelo terminal foi resultado da concorrência acirrada que se estabeleceu entre as companhias aéreas, em especial entre a Avianca e a Azul, já que a tímida NHT encerrou as atividades no ano passado (atualmente Brava Linhas Aéreas).

A Azul iniciou com as operações no terminal em junho de 2013, com a primeira frequência para Campinas. Em julho, a companhia implantou o segundo voo diário para o mesmo destino e, em dezembro, a primeira linha para Porto Alegre. Com estas três frequências, somente a Azul transportou 16 mil passageiros no ano passado. Atualmente a companhia tem mais uma frequência para a capital, totalizando dois destinos (além de dezenas de conexões) e quatro frequências diárias a partir de Passo Fundo.
A Avianca também registrou uma boa movimentação com o voo diário para o Aeroporto de Guarulhos em São Paulo. Até o fechamento desta edição, a assessoria de imprensa não pode repassar a movimentação pelo terminal de Passo Fundo, mas segundo o HOTRAN (Horário de Transporte) da Anac, a companhia solicitou a autorização para substituir o Fokker 100 para o Airbus 318, aeronave que têm 120 assentos, contra 100 do Fokker. A autorização depende da reforma da caixa d´água que permitirá elevar o nível da Seção Contra Incêndio para V.

Caixa d´água
Mais uma vez as obras do Aeroporto foram adiadas. No início do mês, o diretor do Departamento Aeroportuário do Estado, Roberto Barbosa de Carvalho Netto, havia garantido que as obras de urgência para construção de um reservatório de água de 10 mil litros para os bombeiros iniciariam nas próximas semanas com a contratação de uma empresa com dispensa de licitação para agilizar a obra. No entanto, a empresa não apresentou os documentos obrigatórios e a Central de Licitações do Estado deverá abrir novamente o processo, que desta vez será na modalidade carta convite. Assim, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística, a construção do reservatório deve ser adiada em pelo menos um mês.
Este reservatório, que vai ampliar em quatro vezes a capacidade do reservatório do caminhão utilizado atualmente pelo Corpo de Bombeiros no Aeroporto, é uma das condições para elevar de categoria do Aeroporto de Passo Fundo do nível III para o nível V, que permite o recebimento de aeronaves de maior porte.

A matéria completa você confere nas edições impressa e digital de O Nacional.  Assine Já

Palavras-chave:

aeroporto

obras

PUBLICIDADE



PUBLICIDADE