PUBLICIDADE

MIX


A febre das hamburguerias

Publicada em: 19/05/2018 - 09:00, por Redação ON ([email protected])

Gourmetização de hambúrgueres tempera o mercado gastronômico e ganha cada vez mais o paladar dos passo-fundenses

A febre das hamburguerias

Lanches artesanais, com receitas próprias e ingredientes frescos, têm se popularizado

Crédito: We Love Burger

O desenvolvimento próprio do blend de carnes, a utilização de ingredientes frescos e não industrializados e a criação de combinações únicas têm sido a receita de sucesso para um mercado que cresce acima da média e promete ir além do modismo. Se o decréscimo na atividade econômica do país impacta negativamente alguns setores, na área alimentícia as hamburguerias souberam driblar a crise e ganhar o paladar dos passo-fundenses, em uma tendência que se espalha por todo o país.

Na cultura sulista, o disco preparado na chapa e colocado entre duas fatias de pão é uma opção bastante famosa há décadas, e ganhou o nome de “xis”. No entanto, embora a referência seja o “cheese burger” americano, o lanche sempre foi preparado de maneira bastante simples, o que, agora, começa a perder espaço aos hambúrgueres mais gourmetizados e mais próximos do modelo nascido nos Estados Unidos. Tradicionalmente feito de carne bovina, o prato tem ganhado até mesmo novas experimentações. Quem antes não era contemplado neste tipo de mercado, agora ganha espaço: os vegetarianos e veganos, por exemplo. Com tanta concorrência, o jeito é mesmo apresentar um diferencial.

Além de estabelecimentos que apenas pela decoração impecável, o ambiente descolado e a música de fundo já valeriam a visita, aqueles que têm como alvo o público que não quer sair do conforto de casa para devorar um hambúrguer enxergam na tecnologia a oportunidade perfeita de oferecer serviço de qualidade. Seja por mensagem ou aplicativos específicos para pedidos gastronômicos, nunca foi tão fácil pedir um lanche - que, cada vez mais, deixa de ser considerado como tal e passa a ser uma verdadeira refeição -, mesmo quando o desejo bate na porta tarde da noite. Assim, a preocupação com a qualidade de produtos artesanais aproxima-se da linha fast food.

Exemplo disso é uma das pioneiras no município neste tipo de serviço, a Didio’s American Burger, criada por Giovani Elísio da Silva, que no final de 2014 trocou a profissão de analista de sistemas para investir no próprio negócio, com a proposta de inovar no ramo de fast food e serviço de delivery. Segundo Giovani, o formato fundamenta-se totalmente no estilo de franquias americanas e surgiu de uma pesquisa de mercado, de formatos de produto e de comercialização que realizou no estado americano da Califórnia. A ideia era criar um processo exclusivo de produção, preparação e embalagem. “Também sistematizamos, desde o início de nossos trabalhos, o atendimento diferenciado via aplicativos e outras tecnologias aliado ao nosso objetivo de entrega rápida. Já tivemos relatos de clientes que conseguiram receber o pedido em suas casas em apenas 15 minutos”, relata.

Na Didio’s, por exemplo, além de o cliente poder escolher entre 18 combinações presentes no cardápio, ele também pode optar por montar o próprio hambúrguer, escolhendo o tamanho, o tipo de hambúrguer e os adicionais. No cardápio, os pratos ganham nomes curiosos, baseados em topic trends dos anos 50, 80 e 90, como Francis Coppola, Martin Scorcese, Al Pacino, Kill Bill e Exterminador. “É uma forma de conexão com nosso público-alvo”, explica o proprietário.

Cervejas artesanais complementam a experiência

Para acompanhar um belo hambúrguer, as cervejas artesanais produzidas na região são a principal aposta do ramo, seguindo a linha de valorização de produtos locais. No SubCast, restaurante direcionado ao público jovem-adulto que busca apreciar a harmonia entre gastronomia e bebidas, cervejas artesanais e boas comidas são justamente o foco principal. Na descrição de Gustavo Leal, sócio-proprietário do restaurante ao lado do empresário Múcio de Castro Neto, o SubCast se posiciona olhando para o público antenado em tendências e interessado por paladares diferentes, que ao mesmo tempo caibam no bolso. O cardápio, que valoriza sabor e harmonização, teve desde sua concepção foco nos cortes de carnes na tábua, com acompanhamentos como batata rústica e legumes grelhados, ao lado de boas cervejas. No entanto, o olhar atento dos proprietários às preferências do público  lhes permitiu entender a necessidade de oferecer hambúrgueres de qualidade também. Em um restaurante direcionado a boas carnes, não poderia ser diferente: os burgers SubCast se destacam pela qualidade da carne utilizada e pelos ingredientes produzidos na cozinha do SubCast com receita própria.

Gastronomia regional

Surgida no ano passado, a The Bagual Burguer é outro exemplo de estabelecimento em Passo Fundo que usa como base o modelo norte-americano de hambúrguer, mas carimba os produtos com um estilo próprio. O proprietário, Yuri Laitharth Teixeira, conta que a iniciativa surgiu tomando como exemplo o mercado de hambúrguer das capitais, mas com abordagem voltada para a cultura gaúcha. “A nossa proposta é um hambúrguer com roupagem do Rio Grande do Sul. Mescla, então, a cultura americana com a cultura regional”.

Todos os pratos são elaborados levando em consideração gostos tipicamente gaúchos: os discos tradicionais de carne de gado dividem espaço com os feitos de costela, de bacon e de ovelha. Até mesmo os nomes são bastante específicos. No cardápio, o “Teixerinha” é descrito como um hambúrguer feito com “pão da nona, hambúrguer 2/3 de gado e 1/3 de bacon, cheddar, provolone, torresmo, molho de churrasco e maionese caseira”. Já o “Sandubagual” é preparado com pão cacetinho, chuleta desossada e queijo colonial. O ambiente também é um tanto diferente do normalmente encontrado na região e bem mais descontraído: a lanchonete funciona dentro de um contêiner.

Cultura japonesa

Quem foi que disse que a culinária japonesa é composta somente por sushis? Ou que o hambúrguer só pode ser feito de carne vermelha? Se você pensa assim, pode se surpreender com essa alternativa: o hambúrguer oriental já é uma realidade fora de hamburguerias. O Hasu Delivery, voltado para a cozinha oriental, encontrou neste movimento presente em terras passo-fundenses uma oportunidade de apresentar a variedade presente dentro da comida japonesa. Responsável por gerenciar o restaurante e criar estes novos sabores, Thiane Estrasulas Daneli deixa claro: a intenção não é se aproximar dos serviços ofertados por uma hamburgueria, apenas mostrar que o Japão vai muito além do sushi.

“É importante não confundir a linha. O restaurante é japonês e existe uma linha de gastronomia no Japão, chamada izakaya, que são comidas quentes e mais rápidas, e a gente está começando a colocar esse tipo de comida no menu, o hambúrguer foi apenas uma ideia exclusiva. Temos em nosso cardápio um hambúrguer de salmão e criamos também um feito de camarão. O de camarão, a princípio, não vai ficar no cardápio, foi apenas para participar de um circuito ao qual fomos convidados, mas é interessante ver o sucesso que fez. Todos os ingredientes que usamos são da cozinha oriental. Não tem barbecue, queijo, bacon... Só ingredientes orientais mesmo”, esclarece.

Setor cresce mesmo com a crise financeira

As hamburguerias foram o segmento gastronômico com maior crescimento entre os anos de 2016 e 2017, segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), quando o faturamento de lojas de 38 redes chegou a quase R$ 700 milhões. Um faturamento que é ainda muito maior se considerarmos que essa pesquisa que não contabiliza as hamburguerias não pertencentes a franquias. Somente na Didio’s, hamburgueria passo-fundense mencionada no começo da reportagem, por exemplo, cerca de 300 lanches são vendidos diariamente - em média, 3,5 mil pessoas fazem pedidos mensalmente.

Apenas em uma breve pesquisa por redes sociais, jogando a palavra “hamburgueria” em mecanismos de busca, é fácil notar o grande número de páginas de estabelecimentos do gênero em Passo Fundo, criadas recentemente. Para a economista Cleide Moretto, este aumento no empreendedorismo pode mostrar uma tendência desencadeada pela crise financeira do país. Exceto nos casos de empreendimentos fundados por oportunidade e não por necessidade, nas palavras da economista, com o desemprego e a falta de perspectiva de reingressar no emprego formal, as pessoas estão criando atividades como autônomas e microempreendedoras. “E qual é o ramo de atividade que elas teriam mais chance de dar certo? Justamente em um ramo em que nós temos bens ou serviços que são mais essenciais. Um dos setores que mais sentiu com a crise nos últimos três ou quatro anos foi o próprio comércio varejista. Agora, alimentação é um ramo em que as pessoas dependem. E ainda, dentro da alimentação, temos outro aspecto que une o útil ao agradável: as pessoas também tiveram que economizar no lazer. E se nós temos uma opção de alimentação um pouco diferenciada, que funcione também como um lazer, mais pessoas procuram esse mundo dos gourmets... São movimentos comuns. No caso das hamburguerias, em uma tendência que vem em nível mundial, é tentar tornar um lanche que tem baixo custo de elaboração em algo um pouco mais sofisticado. Então ganha quem tiver a melhor sofisticação, que apresentar o melhor serviço e agradar da melhor forma possível o cliente”, explana.

Circuito We Love Burger

O sucesso das hamburguerias é tanto que motivou até mesmo a criação de um circuito gastronômico que amplifica a experiência dos consumidores: o We Love Burger. Em 2017, o Circuito passou por Passo Fundo em novembro, estabelecendo uma verdadeira maratona gastronômica nas ruas da cidade. A proposta é que, a cada edição, os convidados do circuito criem um hambúrguer artesanal original, totalmente inédito, com DNA próprio e assinatura We Love Burger. Na primeira edição, realizada em 2017, 20 lanches inéditos foram criados e as vendas chegaram a mais de R$ 220 mil. O sucesso imediato motivou a criação de uma segunda edição no município, iniciada em maio deste ano e que chega ao fim neste sábado (19). Ao todo, 12 estabelecimentos participaram desta edição criando hambúrgueres exclusivos para o circuito.

 

Onde provar

Subcast Snacks and Meats

Rua Benjamin Constant, 825

(54) 99700-2390

 

Hamburgueria Social

Rua Senador Pinheiro, 130

(54) 99921-5495

 

Didio’s American Burger

Rua Afonso Pena, 58

(54) 98112-4234

 

Americana Café

Rua Paissandú, 1011

(54) 3045-1313

 

BW Steaks & Burger

Rua Benjamin Constant, 830

(54) 3622-2909

 

The Bagual Burger

Av. Brasil Leste, 2195

(54) 99699-3020

 

Alster Burst Burger

Av. Brasil, 993

(54) 99125-0418

 

Smith Bar

Rua Fagundes dos Reis, 196

(54) 99927-7667

 

Badger’s - Beef Burger & Grill

Rua Moron, 2410

(54) 3046-1100

 

Sucesso Burger

Av. Brasil Oeste, 1948

(54) 98447-9851

 

General 904

Av. General Netto, 904

(54) 9229-9595

 

Black Burger

Rua Silva Jardim, 358

(54) 3622-0554

 

JB Steak in House

Rua Texeira de Freitas, 90

(54) 3601-4732

 

Black Box Street Food

(54) 99980-0173

Palavras-chave:

gastronomia

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE