PUBLICIDADE

Região


Destinação de resíduos sólidos ganha centro de descartes em Victor Graeff

Publicada em: 09/07/2018 - 08:00

Para o presidente da CRVR, o RS pode se tornar o primeiro estado brasileiro com disposição final de resíduos sólidos

Destinação de resíduos sólidos ganha centro de descartes em Victor Graeff

Crédito: Dani Barcellos/Palácio Piratini

A destinação de resíduos sólidos urbanos ganha um importante centro de descarte na Região Norte do estado. Nesta sexta-feira (6), a Companhia Riograndense de Valorização de Resíduos (CRVR) inaugurou um novo aterro sanitário, em Victor Graeff. A área licenciada tem 51 hectares e atende aproximadamente 140 municípios gaúchos. O investimento faz parte de um plano entregue ao governo do Estado com investimento de R$ 500 milhões. A Unidade de Valorização Sustentável (UVS) fica em São José da Glória, no quilômetro 203 da rodovia BR 386.

 

A central vai beneficiar cerca de 850 mil pessoas da região e tem previsão de 21 anos e meio de vida útil. As operações começam em julho, com capacidade de recepção de 700 toneladas/dia, atendendo inicialmente polos no perímetro de Passo Fundo, Carazinho e Erechim, entre outros municípios. Além da disposição final dos resíduos, o novo aterro conta com uma usina termoelétrica movida a biogás e estação de tratamento de efluentes. A geração de empregos direta e indireta abrirá vagas para habitantes do município e adjacências.

 

O emprego de novas tecnologias para reduzir o impacto ambiental tem pautado as agendas do poder público e da iniciativa privada. Nas duas últimas semanas o esforço conjunto redirecionou cinco projetos de investimentos no segmento ambiental no Rio Grande do Sul. De acordo com o governador José Ivo Sartori, a qualificação de empreendimentos desta natureza demonstra o compromisso com a população. “Este é o caminho da modernização, com atitude, responsabilidade e consciência ambiental voltada para o futuro. O Estado também deu sua contribuição e todos saem ganhando: empresas, municípios, comunidades e o meio ambiente”. Sartori informa ainda que os investimentos da CRVR em serviços de coleta de resíduos podem ser aplicados pela prefeitura em outras áreas sociais.

 

A licença de operação foi concedida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). O aterro segue os padrões da Política Nacional de Resíduos Sólidos e rompe o ciclo de utilização dos lixões a céu aberto implantados ao longo das últimas décadas pelos municípios, com capacidade de esgotamento limitado, em terrenos em desconformidade com a legislação ambiental.  A secretária do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ana Pellini, destaca que atualmente há 4.024 processos em análise, menos da metade do que havia há quatro anos. “A atual fase de empreendimentos em proteção ambiental é o reflexo de operações do motor de investimentos das empresas”, afirma.

 

A promoção do desenvolvimento local, com a profissionalização de serviços na área ambiental e o aumento da arrecadação municipal são alguns dos aspectos positivos do empreendimento. Para o presidente da CRVR, Alexsandro Ribeiro, o Rio Grande do Sul pode se tornar o primeiro estado brasileiro com disposição final de resíduos sólidos, com procedimentos padrão, que não impactam o ambiente de forma agressiva ou descontrolada. Os detritos deixam de ser um problema para as comunidades no entorno. “Do total de recepção de detritos na UVS, após a triagem, 80% recebe tratamento”, informa. A empresa opera em outras quatro unidades situadas em Minas do Leão, São Leopoldo, Santa Maria, Giruá e Victor Graeff. 

 

A operação de logística no transporte e despejo de resíduos também diminui custos, resultando em economia em torno de 25% para as prefeituras. Segundo o prefeito de Victor Graeff, Cláudio Alflen, “com localização estratégica, uma solução está sendo encontrada para um dos grandes problemas que os municípios enfrentam com o deslocamento de resíduos em localidades mais distantes”. Por outro lado,  Alflen afirma que a implantação da UVS não tem investimento público ou concessão de incentivo fiscal.

 

A inauguração teve a presença do governador José Ivo Sartori, secretários estaduais e prefeitos. Ao final da solenidade, foi descerrada a placa de inauguração da central. O presidente da CRVR também entregou ao governador o plano de ações e investimentos da empresa para o Estado para os próximos 5 anos. Também estiveram na inauguração, representando a bancada federal gaúcha, o deputado federal Giovani Cherini; pela Assembleia Legislativa, o deputado Vilmar Zanchin; pela presidência da Câmara Municipal de Victor Graeff, vereador Adriano Rodrigo Mattge; o presidente da Copelmi, Cesar Faria; o CEO da Solví Soluções Industriais, Celso Pedroso; imprensa e membros de instituições representativas do município.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE