PUBLICIDADE

Região


Pedágio em Coxilha será cobrado nos dois sentidos da rodovia

Publicada em: 27/02/2020 - 18:00, por Claudia Dalmuth/ON ([email protected])

Posto localizado na ERS-135 cobrará tarifa básica de R$ 4,40

Pedágio em Coxilha será cobrado nos dois sentidos da rodovia

Crédito: EGR

O Conselho de Administração da Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) aprovou, na manhã da última quinta-feira (15), a cobrança de pedágio bidirecional na praça localizada no município de Coxilha, na ERS-135. Hoje, a tarifa de pedágio acontece somente em um dos sentidos da rodovia e custa R$ 4,90 para carros de passeio. A partir da mudança, ainda sem data exata de aplicação confirmada, os motoristas devem passar a pagar tarifa básica de R$ 4,40 em ambas as direções.


De acordo com o diretor-presidente da EGR, Urbano Schmitt, a mudança atende a uma solicitação da população e da associação dos municípios da região, que há anos reivindicam reformas na rodovia e a construção de terceiras pistas, principalmente entre Coxilha e Passo Fundo. “O investimento vem sendo baixo na rodovia por conta da arrecadação. Com a mudança, serão investidos mais de R$ 10 milhões por ano e finalmente investimentos como a construção de novas terceiras pistas poderão ser realizados. No entanto, quem vai definir o que será feito vão ser os próprios municípios”, esclareceu o presidente da EGR.


A alteração, no entanto, divide opiniões. Para o prefeito de Coxilha, Ildo José Orth, a cobrança bidirecional pesará de maneira negativa no bolso dos usuários que trafegam diariamente pela rodovia. “Quando o governador Eduardo Leite pediu a minha opinião, eu já havia dito que era contrário a essa mudança. A maior parte dos usuários que passa por aquele pedágio, vai e volta. Eles usam nos dois sentidos. Então, se o objetivo é arrecadar mais, poderia aumentar um pouco a tarifa, mas evitar o transtorno de dobrar o valor e fazer o motorista enfrentar a fila do pedágio duas vezes”, lamenta. Ele aponta também a necessidade de adequação da praça, que precisará ser ampliada. “Antes de aumentar, eles precisam dobrar o quadro de funcionários, investir na colocação de mais cancelas e no alargamento da pista”.


Ainda de acordo com o prefeito, a Administração Municipal e a Câmara de Vereadores de Coxilha pretendem elaborar uma carta de manifestação mostrando que a proposta não é economicamente viável e que causará transtornos para os usuários da via. “Caso, ainda assim, determinem a mudança, o que esperamos é que o aumento da arrecadação seja usado em atenção à rodovia. Além de ter trechos muito precários, até hoje, ela tem poucos pontos em que há terceira pista e isso enforca muito o trânsito; o acostamento é reduzido e causa inúmeros acidentes; e os refúgios em acessos e pontos de ônibus são pequenos, fazendo com que, muitas vezes, quando o ônibus precisa parar, ele acabe ficando com uma roda em cima da pista”, lista.

 

Redução no valor do pedágio


O decréscimo proposto para a tarifa no pedágio de Coxilha, que deverá passar de R$ 4,90 para R$ 4,40, não é reflexo apenas da nova cobrança bidirecional. É uma decorrência da nova tabela para base de cálculo do valor cobrado em pedágios em estradas estaduais, aprovada pelo Conselho Gestor do Programa de Concessões e Parcerias Público-Privadas (CGEPPP/RS) – que reúne o governador do Estado, integrantes de diversas secretarias e a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) –, em reunião realizada no Palácio Piratini, também na manhã de quinta-feira. Como resultado da nova tabela, a tarifa básica (que é o valor cobrado de veículos de passeio) terá redução de 10% em 12 das 14 praças de pedágio.


“Nós buscamos, originalmente, adequar a nossa tabela à forma como é feita em todo o país, tanto pelo governo federal como por outros Estados, em que o cálculo considera o fator eixo, com o objetivo de equalizar o sistema e podermos lançar, ainda neste ano, novos editais de concessões sem que houvesse distorções”, afirmou o governador Eduardo Leite. Até então, a EGR adotava um sistema próprio de cálculo, em que um eixo comercial respondia a 0,59 da tarifa básica. Agora, um eixo passará a ser igual a uma tarifa básica, multiplicando sucessivamente.


“Se nós apenas aplicássemos o fator eixo, os valores das tarifas subiriam para todos os veículos. No entanto, nosso governo optou por abrir mão dessa receita e aplicou uma redução de 10% na tarifa básica, que impactará na redução dos valores pagos por carros de passeio e em um aumento para veículos de carga, mas num aumento menor do que poderia ser se nós não tivéssemos tomado essa decisão”, explicou o governador.
Dessa forma, motoristas de carros de passeio, que representam 82% do fluxo nas praças de pedágio da EGR, pagarão 10% a menos, enquanto os caminhoneiros, que são 18% dos usuários, terão um reajuste de 51,8% – que poderia ser de quase 70% caso o governo não adotasse o reajuste.

 

Novos valores devem valer a partir de abril


A mudança, que terá de passar pelo aval do Conselho de Administração da EGR no mês de março e, portanto, deverá ser aplicada aos motoristas a partir de abril, vale para as praças de Boa Vista do Sul, Candelária, Coxilha, Cruzeiro do Sul, Encantado, Flores da Cunha, Gramado, Santo Antônio da Patrulha, São Francisco de Paula, Três Coroas, Venâncio Aires e Viamão. A exceção são as de Campo Bom e Portão, onde o preço será mantido.


Confira as novas reduções

• Coxilha: R$ 4,90 - R$ 4,40
• Gramado, São Francisco de Paula e Três Coroas: R$ 7,90 - R$ 7,10
• Venâncio Aires, Candelária, Cruzeiro do Sul, Encantado, Boa Vista do Sul, Flores da Cunha, Santo Antônio da Patrulha e Viamão: R$ 7 - R$ 6,30
• Campo Bom: R$ 3,25 (mantém o valor)
• Portão: R$ 6,50 (mantém o valor)

 

PUBLICIDADE



PUBLICIDADE