PUBLICIDADE

Saúde


Brasil ainda demora para incorporar novos medicamentos contra o câncer

Publicada em: 25/11/2018 - 14:00

Brasil ainda demora para incorporar novos medicamentos contra o câncer

Crédito: Arquivo/ON

O FDA – órgão americano que regula medicamentos, aprovou 60 novas drogas contra o câncer nos últimos cinco anos, e o Brasil demora para incorporar a tecnologia para os pacientes.

 

Um levantamento do site Metrópoles, de Brasília, mostra que 60 medicamentos para o tratamento de câncer foram aprovados pelo Food and Drug Administration (FDA), entre 2013 e 2017, mas até hoje nenhum deles é oferecido aos pacientes oncológicos que dependem da saúde pública em nosso país - SUS. A reportagem revela também que, dos 60, mais da metade (32) receberam registro da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e somente cinco foram incorporados ao rol de cobertura obrigatória pelos planos de saúde – saúde privada, editado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

 

O maior obstáculo não está na aprovação pela Anvisa, mas em fazer chegar o medicamento aos pacientes.  O problema do SUS é o custo destas drogas inovadoras. Uma solução simples seria a disponibilidade de pesquisa, estudos clínicos, aos pacientes com câncer e o abandono de tecnologias ultrapassadas, priorizando as novas, que são mais eficazes.

 

Nos EUA e Europa quase 60%-70% dos pacientes com câncer utilizam a pesquisa de novos medicamentos para poderem ter acesso as medicações de ponta. No Brasil, este assunto tem muitos mitos e somente 5% ou menos dos pacientes procuram esta via.

 

Pesquisa em câncer colorretal

O Instituto do Câncer Hospital São Vicente realiza estudo para pacientes com câncer colorretal metastático que apresentam mutação em BRAF e sejam elegíveis a receber terapia de 2ª ou 3ª linha. O tratamento em estudo inclui quimioterapia ou inibidor de BRAF e/ou inibidor de MEK, ambos em combinação com um anticorpo monoclonal anti-EGFR.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE



PUBLICIDADE