Motoristas das Forças Armadas e PF já estão conduzindo caminhões

A informação foi divulgada pelo ministro do GSI

Escrito por
,
em
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) determinou aos caminhoneiros que estão parados no acostamento da BR-040, em frente à Refinaria Duque de Caxias (Reduc), que retirem os caminhões.

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen, disse que motoristas das Forças Armadas e da Polícia Federal já estão conduzindo veículos de transporte de carga para normalização do abastecimento de combustível no país, e citou caminhões-tanque que foram escoltados para abastecer o Aeroporto Internacional de Brasília. 

Segundo o ministro, está se caminhando para a normalização do abastecimento de combustível e cargas, no entanto, não ocorrerá rapidamente. "Não é rápido. Cada caminhão parado por muito tempo poderia ter feito várias viagens", disse o ministro, após ter participado da segunda reunião do dia do gabinete da Presidência da República, no Palácio do Planalto, que está monitorando os protestos e bloqueios feitos pelos caminhoneiros nas estradas, que chegaram ao sexto dia. 

O governo editou decreto, publicado em edição extra do Diário Oficial da União, neste sábado (26), que “autoriza a requisição de veículos particulares necessários ao transporte rodoviário de cargas consideradas essenciais pelas autoridades”. O decreto autoriza o ministro da Defesa a determinar que servidores públicos habilitados, entre eles militares das Forças Armadas, requisitem e conduzam caminhões para realizar a entrega de cargas.

Aeroportos

O ministro disse ainda que a situação dos aeroportos está quase normalizada, principalmente os de Brasília e Recife que apresentavam os maiores problemas com a falta de combustível.  

Gostou? Compartilhe