Brasil e China assinam plano de cooperação para os próximos cinco anos

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os governos do Brasil e da China assinaram hoje (15) um Plano de Ação Conjunta para definir caminhos da parceria estratégica entre os dois países, além de fixar  metas concretas para a cooperação bilateral nos próximos cinco anos. O plano inclui a realização de consultas políticas mais frequentes sobre temas de interesse comum, levando-se em conta os acontecimentos no cenário internacional.

O plano abrange setores como energia e mineração, agricultura, supervisão da qualidade, inspeção e quarentena de produtos comerciais, indústria e tecnologia da informação, cooperação espacial, ciência, tecnologia e inovação, cultura e educação. Todos os projetos relativos a essas áreas serão coordenados e monitorados, ao longo dos próximos anos, pela Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban).

O documento foi assinado pelos presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Hu Jintao, numa cerimônia que integra os eventos da 4ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Ibas (Brasil, Índia e África do Sul) e a 2.ª Cúpula de Chefes de Estado e de Governo do Bric (Brasil, Rússia, Índia e China).

Segundo Lula, em discurso após a assinatura do documento, o Plano de Ação Conjunta oferece um excelente roteiro para o futuro comum, permitindo uma melhor coordenação da atuação global dos dois países, "em benefício dos objetivos e aspirações de nossos povos".

Com informações da Agência Brasil

Gostou? Compartilhe