Passo Fundo recebe produtores artísticos de seis países

Representantes participam do Congresso Mundial Danzpare, que visa definir padrões e diretrizes para a realização do festival ao redor do mundo

Por
· 3 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Enquanto dançarinos de oito países têm levado a arte folclórica para todos os cantos do município, na segunda edição do Festival de Dança Patrimonial em Pares (Danzpare Brasil), paralelamente, produtores culturais dos países filiados ao festival se reúnem deste ontem na Câmara de Dirigentes Lojistas de Passo Fundo (CDL). Eles integram o Congresso Mundial Danzpare, que tem como objetivo alinhar diretrizes e definir padrões a nível mundial para a realização dos festivais ligados à marca Danzpare. Nesta edição, participam do congresso representantes do El Salvador, Costa Rica, Peru, Argentina e Equador, além do Brasil. Essa é a segunda vez que o congresso é realizado e a primeira em que o Brasil é sede.

A segunda edição do Danzpare Brasil teve início no último domingo (14) e segue o dia 22 deste mês, com a participação de dançarinos vindos da Argentina, Chile, Equador, Colômbia, Guatemala, Peru, Uruguai e Brasil. A estimativa da organização é que, ao todo, 20 mil pessoas prestigiem as apresentações, entrando em contato direto com o folclore de outros países. Em Passo Fundo, quem promove o evento é o Centro de Danças Baillar, que detém os direitos de promoção do festival no Brasil. A nível mundial, por outro lado, o festival surgiu na Costa Rica, no ano de 2010, por iniciativa de Hans Gutiérrez, na intenção de divulgar a cultura dos povos por meio da dança e da música. “Inclusive, Hans é um dos participantes que, pela primeira vez, veio a Passo Fundo. Para nós, é bastante importante, além de promover o festival, servir de sede para este congresso. No contato entre os produtores artísticos, nós conseguimos fazer com que todos os países filiados ao Danzpare falem a mesma língua. Temos discutido bastante sobre como podemos ampliar e organizar o formato, alinhando ideias e pensando em soluções para, cada vez mais, popularizar a arte da dança pelo folclore, de maneira gratuita”, explica a produtora do Danzpare Brasil e coordenadora da Baillar, Raquel Rubert Pereira. Ainda segundo Raquel, a vinda dos representantes é custeada, em parte, pelos próprios produtores. O restante é patrocinado pela Baillar, com ajuda de apoiadores.

E, quando o assunto é ampliar o festival, as notícias podem ser vistas como animadoras. A coordenadora do Danzpare Brasil adianta que, na terceira edição do festival, a arte folclórica deve romper as barreiras passo-fundenses. “Nessas duas primeiras edições o festival aconteceu sempre em Passo Fundo, mesmo tendo algumas apresentações mais pontuais que levamos também para outras cidades. Agora, podemos dar 99% de certeza que, daqui a dois anos, o Danzpare Brasil acontecerá também no Costão do Santinho, em Santa Catarina. Nós estivemos lá e eles demonstraram total interesse. Fora do Brasil, outros países que têm conversado sobre se tornarem promotores do Danzpare são o Canadá, a França e o Panamá”. Hoje, nove países promovem o Danzpare: Brasil, México, Argentina, El Salvador, Costa Rica, Peru, Argentina, Equador, Honduras e Guatemala.

Satisfeita com os resultados da edição até aqui, Raquel comenta que, mesmo interessada em contribuir para o crescimento do Danzpare Brasil, a principal meta já foi alcançada: fazer a diferença na vida das pessoas através da dança. “Eu acho que o festival carrega esse papel de fazer a diferença para quem teve contato com o projeto. E isso nós conseguimos. Tenho certeza que nós transformamos parte do cotidiano da população em geral e, principalmente, dos estudantes, que provavelmente não teriam contato com essas manifestações culturais se não fosse por nós. Estamos inserindo a arte no dia-a-dia, em pequenos momentos. A pessoa para, respira o colorido, ouve as músicas. Isso transforma”, exalta.

Programação

A programação do Danzpare Brasil segue até o dia 22 de setembro. Nesta quinta-feira (19), sexto dia de evento, o Danzpare realiza um show com integração no Colégio Cristo Rei de Marau, a partir das 10h. Já às 21h, no salão Cristal do Clube Comercial, acontece o Jantar Show Baile, evento de gala do Festival. Este é o único momento em que o público que deseja participar paga ingresso (disponíveis na secretaria da Baillar). Na sexta-feira, feriado de 20 de setembro, toda a equipe de voluntários e bailarinos desfilam no tradicional Desfile Farroupilha, às 8h30, na Avenida Sete de Setembro. Após, todos confraternizam na Granja da Família Baillar, num momento de integração entre todos os envolvidos. O penúltimo dia de programação vai levar os bailarinos para o pequeno município de São Miguel das Missões, no Noroeste do Estado. A programação encerra no domingo (22), com o dia todo dedicado a integração dos bailarinos com as famílias hospedeiras. À noite, às 19h, toda equipe se reúne para um jantar de despedida e balanço final da segunda edição.  

 

Gostou? Compartilhe