Acisa elabora relatório sobre as medidas adotadas pelas indústrias

Documento com mais de 200 páginas foi disponibilizado ao governo municipal

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Para evitar a propagação do novo coronavírus (Covid-19) e manter a economia em funcionamento, as empresas precisaram fazer adaptações em suas rotinas e em seus ambientes de trabalho.Para entender a forma que cada empresa está enfrentando esta pandemia, a Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agronegócio (Acisa) de Passo Fundo entrou em contato com cerca de 90 indústrias do município, que compartilharam as práticas adotadas neste momento para evitar a disseminação do vírus dentro das empresas. O material coletado gerou um documento que conta com mais de 200 páginas e apresenta fotos, relatórios, notas fiscais e depoimentos das ações executadas. "O material tornou-se um arquivo completo da situação da indústria em Passo Fundo, que foi disponibilizado para Prefeitura Municipal, como argumento de que esse setor está consciente e organizado com práticas ativas, muitas delas, inclusive, inovadoras e que vão além do cumprimento do decreto, pensadas para cuidar da saúde das pessoas e diminuir o risco de contaminação dentro das empresas", afirma Evandro Silva, presidente da Acisa.

O Decreto Municipal 49/2020 que estabelece a abertura das indústrias com restrições, torna obrigatório o uso de máscaras, a disponibilidade de álcool gel para funcionários e clientes, além da limpeza frequente dos ambientes, adoção de sistemas de escalas, revezamento de turnos ou alterações de jornadas para reduzir fluxos e evitar aglomerações de funcionários e a diminuição do número de mesas ou estações de trabalho ocupadas no estabelecimento, para aumentar a separação entre elas, garantindo o distanciamento de, no mínimo, dois metros. 

Em uma das empresas,  além dessas medidas, todos que acessam o pátio precisam lavar as mãos e o rosto com água e sabão neutro, além de higienizar os pés no pedilúvio. Nenhum veículo pode acessar a empresa, com exceção das transportadoras, que são esterilizadas antes de entrar. Além do álcool gel disponibilizado em todos os setores, cada funcionário recebeu um recipiente individual com o produto. Em outra,  todos os dias, na chegada ao trabalho, é aferida a temperatura dos funcionários com termômetro. O mesmo acontece em outras empresa.

"Ficamos satisfeitos com o resultado deste trabalho, pois verificamos que as empresas estão seguindo uma rotina de cuidados com os colaboradores dentro das empresas e que se estendem para a vida do funcionário fora dela, junto aos seus familiares, e também com todos que entram no estabelecimento. Outro fato que notamos é que há uma rede de solidariedade muito grande entre uma empresa e outra, no sentido de se manterem fortalecidas neste momento de crise", pontua a gerente executiva da Acisa, Cristiane Baccin.   

Gostou? Compartilhe