Lojistas projetam queda de 10% nas vendas para o Dia dos Namorados

Comportamento do consumidor aponta crescimento nas vendas eletrônicas

Por
· 1 min de leitura
Luciano Breitkreitz / ON Luciano Breitkreitz / ON
Luciano Breitkreitz / ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Mesmo com os decretos municipais flexibilizando a abertura de diversos setores do comércio local e a retomada progressiva dos estabelecimentos há um mês, os lojistas projetam uma queda de 10% nas vendas para o Dia dos Namorados, celebrado na sexta-feira (12), em comparação ao mesmo período do ano passado sem o cenário de pandemia.

 Com as adequações nos modelos de venda, o comportamento do consumidor passo-fundense também se modificou, conforme analisa o presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Sérgio Giacomini. Isso porque as compras por aplicativo de mensagens e pelos endereços eletrônicos começaram a ganhar protagonismo nesse período de distanciamento social. “Os lojistas estão bastante otimistas. Quem se antecipou, conseguiu se adequar. As vendas online aceleraram o movimento de compra”, disse. 

Embora ainda não seja possível estimar porcentagens de perda na arrecadação para os comerciantes locais, alguns setores, como o de confecções e calçados, tiveram uma retomada melhor, conforme mencionou Giacomini. Peças de inverno e acessórios, aliás, devem ser os itens mais buscados pelos consumidores para presentear a pessoa amada pela passagem da data, segundo projetou a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), seguido pelo setor de perfumaria e beleza. 

 Uma prática que veio para ficar

Em dois meses de fechamento das portas das lojas, o e-commerce antecipou em dois anos o uso das ferramentas eletrônicas para as compras. A avaliação do presidente da CDL sobre a incorporação da tecnologia para movimentar o setor, em Passo Fundo, vai além. “Vai ser uma prática incorporada no cotidiano dos lojistas e consumidores locais. É uma maneira de trazer o cliente à loja física”, ponderou. 

 Mais receosos pelo temor do contágio pelo coronavírus, os passo-fundenses que, antes, se aglomeravam pelo centro da cidade em busca da melhor oferta pelos produtos, agora, procuram os produtos com os dedos pela tela do celular. Essa inclinação de mudança no perfil dos consumidores locais impulsionou, também, os empresários a romperem com o conservadorismo das lojas físicas. 

“Buscando ajudar os comerciantes”, como explicou Giacomini, a CDL está investindo em uma plataforma virtual que deve reunir todos os estabelecimentos filiados à entidade para que a busca e oferta de produtos seja otimizada na cidade. “É uma plataforma para incentivar o consumo local e manter os negócios na cidade”, explicou. 

No próximo mês, a inclusão digital já deve estar incorporada aos centros comerciais e operacionalizando as transações de produtos e serviços. 

Gostou? Compartilhe