Arte na Rua: floreira no entorno do Espaço Cultural ganha cores

Feita em pintura com estêncil, o objetivo é sensibilizar a importância do cuidar e de bens materiais e imateriais

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Um olhar acostumado à cidade faz parte da rotina diária de muitos passo-fundenses. Com o objetivo de chamar a atenção para o patrimônio histórico e cultural, que muitas vezes passa despercebido, a artista visual Mariane Loch Sbeghen criou a obra “Patrimônio Invisível”, colocando em foco a temática. 

Feita em pintura com estêncil, o objetivo é sensibilizar a importância do cuidar e de bens materiais e imateriais. “Para que as futuras gerações compreendam a história através dos monumentos precisamos preservá-los com manutenção, mas também com divulgação, visando prolongar a salvaguardar o patrimônio por muitas gerações. Com este trabalho pretendo preservar a importância do patrimônio histórico e cultural através da expressão artística, trazendo a reflexão sobre os bens que estão protegidos nas instituições de memória e representados no Espaço Cultural Roseli Doleski Pretto”, afirmou Mariane. 

O edital
Os artistas que tiveram seus projetos selecionados no edital recebem R$ 2 mil. A escolha dos vencedores se deu por uma comissão julgadora que avaliou a relevância conceitual e temática, o caráter público, a criatividade, originalidade e ineditismo e a viabilidade técnica.

Para participar, os projetos precisaram apresentar algum dos seguintes temas: cultura local, com ênfase nas atividades culturais do município, cultura brasileira, preservação da paz e da segurança, preservação do meio ambiente ou inserção social.

O primeiro trabalho concluído do edital foi do artista visual Tales Miletto, com o painel “Amor de Mãe Natureza na Praça da Mãe”, na avenida Brasil. O segundo foi do artista visual Luiz Augusto B. Galera com a obra “Muro de Contenção”, no pátio da antiga estação férrea da Gare.

Gostou? Compartilhe