Diálogo ameaçado

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Está difícil aturar exalações fundamentalistas expressas de muitas formas, a respeito do momento tumultuado da disputa presidencial. A rigor, são exacerbações mais do que inconvenientes de ambos os lados de uma cizânia brasileira. E foi um desses espaços, via mídia eletrônica, que imaginei viável expor a expectativa a ser ponderada. Em princípio nossa expressão foi claramente contrária a exibições de excitação beligerante. Pela experiência que tenho sofrido na vida ao longo de décadas, como observador político na comunidade, juntei-me aos q ue claramente se opõem às ameaças que invoquem concepção ditatorial. Seguiram-se vários comentários, mas um deles, pelo menos, revelou abominável tom de ameaça. A advertência veio de um fanático dizendo que “essa gente esquerdista e comunista” será severamente perseguida após a vitória do candidato deste fanático. Esse tom de ameaça não tratava de argumento político ou ideológico, mas admitia desejo de exclusão de quem ousasse outra preferência política. Isso pode ser visto como mera estultice. Não se trata, porém, de caso isolado. É extremismo preocupante que se desgarra de razões do debate político. É fascismo assumido por muita gente. É a reiteração do ódio! Inconcebível!

 

Tancredo
Vivemos, dentro das redações do jornal, a angústia do que se passava no país, quando Tancredo Neves representou a esperança de democracia. E foi com enorme sacrifício que o saudoso político nacional conseguiu contornar a transição. Da ditadura para a democracia foram muitos esforços do povo nas ruas, com lideranças, inclusive do partido do governo militar. E Tancredo descuidou da própria vida (saúde), entregando-se ao diálogo, movendo embaraços de próceres ligados ao poder, especialmente na ala militar, que não consentia na escolha presidencial pelo voto. Pela primeira vez foi eleito presidente civil, naqueles anos de chumbo (1985). Foi um dos mais comoventes momentos de conquista popular, ainda que pelo voto indireto. A idiossincrasia deu lugar ao clamor do povo. Alegria nas ruas! Sua morte, sem poder assumir a presidência, foi o momento mais expressivo de apreço à liberdade e esperança que vi na vida. Vimos lágrima de emoção em muitos colegas de redação. Pessoas de matizes diferentes, mas irmanadas na grave luta pela democracia e liberdade.

 

Respeito
Sempre houve opiniões divergentes na política brasileira. A magia do fim da ditadura, no entanto, graças a líderes como Tancredo, fez raiar o sol da redenção libertadora. É por isso que não se consegue aceitar a nova ameaça de uma ditadura da raiva. A grande insegurança que nos aflige vem acelerada por insanidades na expressão. O respeito, às mulheres, ao pensamento, cor da pele, situação financeira, opção sexual, ou postulado político democrático, foi defasado pela escalada do ódio. Assim não dá!

 

Polícia e democracia
Para não confundir apelos de pacificação do ambiente político com a necessidade de punição de corruptos, é importante sabermos que a investigação continua. A PF foi autorizada pelo Supremo a investigar denúncias que envolvem o tucano Beto Richa no Paraná. Também o governador do MS, Reinaldo Azambuja é investigado na operação Vostok, que envolve fazendeiros e empresários da indústria frigorífica. A PF cumpre mandados também no Pará. O nome Vostok é referência à estação russa onde ocorre o maior frio do planeta. A investigação não se reduz à delação contra tucanos, mas levantou notas falsas para esquentar propina. Muita gente graúda envolvida nesse clima glacial. A investigação atende necessidade democrática de justiça social.

 

Deputados
Foi divulgado que 25% dos deputados donos de empresas rurais violam a lei trabalhista.

 

Mesa Um
A recente reunião em jantar da Mesa Um, oferecido pelo Dr. Juarez Azevedo, reuniu confrades históricos da vida política de Passo Fundo. Foi significativo o encontro pelas presenças de lideranças em vários setores, de diferentes opiniões em funções de curadoria da comunidade. Jornalistas que participam dos encontros puderam constatar diferentes opiniões, num clima ameno e informal. É uma forma de diálogo.

Gostou? Compartilhe