Empresa se prepara para iniciar obra em Passo Fundo

Sindicato dos Comerciários e Sindilojas devem assinar a Convenção Coletiva da categoria na próxima semana. Acordo era último passo para que empresa iniciasse a construção no município

Escrito por
,
em
Representante do Sindilojas e da Havan destacaram as etapas da negociação

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Com o fechamento do acordo entre o Sindicato dos Comerciários e o Sindilojas, que representam os comerciários e os donos de empresa, respectivamente, todos os passos para que a Havan possa iniciar as obras no município estão concluídos. A proposta aceita pela categoria na noite de quinta-feira ainda depende da assinatura de ambas as partes, o que deve ocorrer no decorrer desta semana.


Na manhã de sexta-feira, o presidente do Sindilojas Jefferson Kura e o representante jurídico da empresa, José Mello de Freitas Freitas, informaram, em entrevista coletiva, que todas as etapas da negociação foram seguidas de muita cautela para garantir que todos os envolvidos tivessem suas necessidades atendidas na mesa de negociações. Para Kura, o acordo fechado entre as partes é um dos mais atualizados do Estado e permitirá, inclusive que outras empresas que pretendam se instalar em Passo Fundo encontrem no acordo um motivo a mais para escolher a cidade.


O acordo coletivo aprovado pelos comerciários, prevê, além da reposição salarial, diferenciação entre empresas que optem por fechar em quatro ou sete feriados durante o ano. Quem optar pelo menor número de dias fechados, como é o caso da Havan, não abrirá: no Dia do Trabalhador, Ano Novo, Natal e Páscoa. Quem optar por essa possibilidade pagará R$ 1.450,00 de piso e R$ 364,00 de vale alimentação aos funcionários. Aos feriados, os funcionários podem trabalhar no máximo seis horas e recebem 100% de hora extra. Decisão será levada para reunião do Sindicato dos Comerciários com o Sindilojas, nos próximos dias.


O piso da categoria, para os comerciantes que optarem por não abrir em sete feriados, ficou com reajuste de 3,31%, passando para R$ 1.270. A categoria conseguiu outros benefícios como continuar realizando a rescisão no sindicato, mesmo após a reforma trabalhista em vigência, e não acumular banco de horas. Os feriados, neste caso, são: Revolução Farroupilha, Finados, Natal, Ano Novo, Dia do Trabalhador, Domingo de Páscoa e Sexta-feira Santa.


Caso Havan
A polêmica no caso da Havan começou quando a empresa anunciou o desejo de abrir a loja aos feriados, como o faz em outras cidades em que possuí filiais. Porém, em Passo Fundo, a última convenção coletiva dos trabalhadores, com vigência até março de 2018, não permitia o trabalho dos comerciários em sete feriados. Diante da notícia, em declaração, membros da direção da empresa enfatizaram que só se instalariam na cidade se pudessem abrir nessas datas. Em suas manifestações o Sindicato dos Comerciários, manteve o posicionamento de que não iria permitir a perda de direitos dos trabalhadores. Em meio a esse clima, começaram as negociações da reposição salarial e outras questões da convenção coletiva.

Autorização de obra
O município também já concedeu a autorização necessária para o início da obra. A megaloja será construída na Avenida Brasil – Leste, no bairro Petrópolis, ao lado do Stock Center, em uma área de 7 mil e 300 metros quadrados. A loja deverá gerar 150 empregos diretos.

Gostou? Compartilhe