Escola Alberto Pasqualini inicia projeto pela paz

A escola estadual de Passo Fundo se mobiliza através do Programa Cipave em ações que combatam a violência e o bullying

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Escola Estadual Alberto Pasqualini deu a largada no Programa Cipave, da Secretaria de Educação do Estado, através de lançamento que aconteceu ontem, 26, no ginásio da escola nos turnos da manhã e tarde. O Programa busca ações internas de combate à violência e ao bullying nas escolas e tem mobilizado alunos e professores do ensino fundamental ao médio.

 

O Programa Cipave (Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar) é uma iniciativa estadual que busca orientar a comunidade escolar sobre as mais diversas situações que podem ocorrer no ambiente educacional, identificando situações de violência, planejando formas de prevenção e realizando ações de estímulo ao respeito e combate ao bullying. A Escola Alberto Pasqualini aderiu ao programa e, dentro dele, construiu o projeto Educação pela Paz, conforme a diretora Clessi Cenci Gambatto. “O objetivo é diminuir o índice de violência em todos os sentidos. Não só a violência física, mas a violência psiclógica e a violência com o patrimônio escolar”, conta. As professoras reuniram as turmas em atividades que trouxessem palavras de ordem remetendo à paz, como o amor e o respeito, e então foi realizada a apresentação de cada uma das turmas com o trabalho que desenvolveram. “E nós também queremos que o projeto ultrapasse os portões da escola, que chegue às famílias e à comunidade de cada aluno”, completou a diretora.

 

No turno da tarde, as crianças construíram uma centopeia, o símbolo da Cipave, que representa, de acordo com Clessi, a união das ideias e a importância do conjunto na hora de promover a paz. “É importante que o aluno saiba que através de pequenas ações se consigam grandes resultados, através do respeito e das boas maneiras dentro da escola, onde ele começa a construir atitudes de paz”, disse. As alunas Caliandra e Liviny, de 8 anos, contam que dentro da sala de aula elas já notam a mudança de comportamento, e conversam sobre temas como o bullying e o racismo. “Eu aprendi a não brigar e a respeitar os colegas”, disse a Isabela, também de 8 anos.


Dentre as ações no cronograma para efetivar o projeto estão teatros, campanhas do agasalho e alimento, desenvolvimento do Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência) e oficinas de artesanato e culinária. Além dos alunos, a escola também pretende envolver os pais em grupos de palestras e gincanas que promovam a mediação de conflitos e um maior envolvimento da família na vida escolar dos alunos. Apesar do lançamento do projeto ter acontecido nesta semana, a diretora Clessi nota uma mudança de comportamento nos alunos. “A gente tem percebido que o comportamento deles no recreio, que era muito agitado, estão mudando as atitudes. Os alunos estão mais calmos e respeitam mais um ao outro, a escola e os professores.”

Gostou? Compartilhe