Fatos 02.07.2019

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Longa conversa

O prefeito Luciano Azevedo, PSB, e o vice-prefeito João Pedro Nunes,MDB, tiveram uma longa conversa na sexta-feira. Juntos, os dois analisaram cenários e possibilidades para as eleições de 2020. A tendência é manter a parceria que já dura quase 20 anos e o respeito mútuo marca esta amizade. Lealdade e confiança são características que indicam que os dois podem estar juntos em mais uma eleição. O indicativo foi dado pelo prefeito no Programa Sem Segredo da Rádio Uirapuru, sábado pela manhã. O prefeito considera que há muita pressa em definir e lançar candidaturas e que é preciso aguardar o tempo certo. Prometeu que vai trabalhar até o último dia do mandato e que já estabeleceu isso com a própria equipe. “Quem não quiser trabalhar até o último dia, passa a tesouraria para devolver o salário”, recomendou. Luciano também disse que mais do que nomes, as pessoas querem saber de projetos para Passo Fundo. “Ser candidato não é só criticar ou fazer pirotecnia”, completou. 

No centro

Encerrada a licença no PSB, Luciano se mantém filiado ao partido se dizendo um político de centro. “Estou convicto de que nos extremos não existe solução. O caminho é pelo equilíbrio, moderação e diálogo. Mesmo que o partido seja de centro-esquerda, o PSB compreende a minha posição e abriga pessoas de centro Brasil afora. Eu tenho uma relação com Beto que me levou para o partido e sei que o PSB tem planos políticos para mim”, disse.

Ano sabático

Depois que encerrar o mandato, Luciano terá um ano sabático. Vai se dedicar a projetos pessoas, mas em Passo Fundo e vai se preparar para enfrentar a eleição de deputado federal em 2022.

Ordem bancária

O coordenador da Bancada Gaúcha no Congresso, deputado Giovani Cherini, PL, informa que já foi  paga a primeira parcela de uma emenda de sua autoria junto ao Ministério da Saúde, para o Hospital de Clínicas de Passo Fundo. O valor pago é de R$ 359,4 mil, de um total de R$ 500 mil. O dinheiro servirá para a aquisição  de dois sistemas de vídeo laparoscopia/endoscopia rápida e dois bisturis elétricos.

Pré-campanha

O vereador Márcio Patussi, pré-candidato a prefeito de Passo Fundo pelo PDT, está acertando com a Agência Critério, de Porto Alegre, para trabalhar a pré-campanha eleitoral. Um dos focos será o empreendedorismo, reforçando a cidade como a 6ª economia do Estado. Políticas sociais e a segurança estão também aparecem como prioridade.

Mais perguntas

O economista e professor da UPF, Marco Montoya, disse que a abertura de comércio entre Mercosul e União Européia vai forçar o Brasil a rever a política protecionista que tem e que o torna difícil e fechado para o resto do mundo. “O agronegócio é o único segmento econômico que consegue agir de forma mais livre”, disse. Para o economista, certamente num processo de integração econômica, depois de consolidado, o primeiro impacto é o aumento da demanda – consumo e o aquecimento das exportações e importações. No entanto, ainda há mais perguntas do que respostas: “precisamos saber de que produtos estamos falando, se serão fixadas tarifas e em quanto tempo o acordo será implementado? De qualquer forma, o agronegócio e a agroindústria devem ser os setores mais beneficiados do processo”. E, Passo Fundo, segundo ele, ainda mais porque tem uma ligação estreita com o Mercosul.

 

Vai completar um mês esta semana que a proposta de acordo para a área da Manitowoc está com o Ministério Público. O MP precisa dar parecer antes da decisão da Justiça. A proposta de acordo foi assinada pelos representantes da fabricante de guindastes, o autor da ação popular vereador Patric Cavalcanti, DEM, o prefeito Luciano Azevedo e o município representado pela PGM.  

Gostou? Compartilhe