Fatos 02.08.2019

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Fica para setembro

A assinatura da ordem de serviço para o início das obras do aeroporto Lauro Kortz ficou para setembro. A informação foi dada ontem pelo presidente da Câmara Fernando Rigon, PSDB, e pelo vereador Paulo Neckle, MDB, depois de conversarem com o secretário dos Transportes Juvir Costella e com técnicos da secretaria. A princípio o start da obra estava marcado para 9 de agosto, quase dentro das comemorações da Semana do Município. O motivo é o atraso na conclusão de dois projetos pela empresa Traçado: de terraplenagem e drenagem. Como são projetos que seguem parâmetros e normas internacionais, o rigor é ainda maior. Neckle disse que, mesmo com o trabalho da comissão especial da Câmara encerrado oficialmente, os vereadores não deixarão de acompanhar a situação do aeroporto. Na próxima semana ele e o vereador Rigon irão até Erechim, na sede da Traçado para conversar com técnicos da empresa e entender se há alguma dificuldade e colocar o Legislativo passo-fundense à disposição. A empresa Traçado venceu a licitação do aeroporto por apresentar a menor proposta de preço R$ 43 milhões. O prazo para ela entregar os projetos já encerrou, mas a empresa pediu prorrogação. 

Faz tudo
Segundo informou o secretário Juvir aos vereadores Neckle e Rigon, o governador Eduardo Leite prefere vir em setembro para assinar a ordem de serviço, mas já com as máquinas da empresa na pista para iniciar a obra. Isso evitaria um tempo burocrático entre o ato legal e o início efetivo dos trabalhos. A vinda a Passo Fundo seria a primeira depois que assumiu o governo.
Apontamentos
Vereador Paulo Rigon disse que não há polêmica no projeto da Mesa que vai reestrutura os cargos da Câmara. Segundo ele são alterações em nomenclaturas de cargos que não implicam orçamentariamente. “São necessárias porque seguem orientação do TCE”.


Conselho Tutelar
Algumas mudanças nas regras de votação para o Conselho Tutelar serão verificadas no processo de outubro. Uma delas é de que o eleitor não vai mais votar em dois nomes, indicando para uma ou para a outra microrregião. Votará em apenas um e os dez mais votados serão os escolhidos como titulares. Além disso, foram escolhidos cinco locais centrais para a votação. Associações de Moradores reclamam que a centralização das urnas podem gerais baixo quórum para uma eleição tão importante quanto essa.

Bolsonaro precisa de limite
O ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Gilson Dipp, 74 anos, passo-fundense, irmão do ex-prefeito Airton Dipp, foi uma das personalidades mais entrevistadas dos últimos dias, por conta das declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre a Comissão da Verdade, da qual ele foi um dos coordenadores. Em entrevista ontem ao Café Expresso da Rádio UPF, o ex-ministro disse que as declarações de Bolsonaro são lamentáveis sob todos os aspectos. Mas ele confia que o país, através de suas instituições democráticas, incluindo a própria sociedade, saberá dar limite ao presidente e exigir que ele fale em nome de todos e não apenas de um pequeno grupo radical que o idolatra e aplaude tudo o que ela fala ou faz. “Esse grupo é menor do que a gente possa imaginar”, completou. Gilson Dipp não vem a Passo Fundo há cinco anos, mas prometeu uma visita em breve para rever amigos. A entrevista completa está reproduzida na edição de hoje do Jornal O Nacional.

Correção
Luiz Fabrício Scheis é o nome cotado para a Coordenadoria de Saúde, e não Luiz Miguel Scheis, que é vereador e pai de Luiz Fabrício. Culpa da força do hábito.

Gostou? Compartilhe