Fatos 17.05.2019

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Lucas Cidade no comando do PSDB local
O PSDB de Passo Fundo passa a ser comandado por Lucas Cidade. A designação para dirigir a comissão provisória do partido foi do presidente estadual e deputado Mateus Wesp. Lucas é chefe de gabinete de Wesp na Assembleia Legislativa. Integram a comissão Vinicius de Moura, Rodrigo Borba, Luis Valendorf, João dos Santos, Nharam Vieira, Elisamir Helena Lima, José Sebastião de Miranda. “Estamos com um grupo unido e focado. Teremos muito trabalho nos próximos meses, com o planejamento para as eleições de 2020”, reforçou Lucas. Sobre a não inclusão do vereador Fernando Rigon na composição da comissão provisória, Lucas Cidade disse que há um distanciamento de Rigon do PSDB, por iniciativa dele. Inclusive, não participou da convenção Estadual. Ele assegurou que este é um dos assuntos que a comissão provisória tratará, para resgatar a aproximação do vereador à sigla.

Divisão
O descontentamento do vereador Rigon com o PSDB não é de hoje e as diferenças entre ele e o deputado Mateus Wesp (quando este era vereador) ficaram claras na disputa pelo diretório, em 2017. Rigon contestou o resultado da eleição que deu vitória ao grupo de Wesp. As eleições foram anuladas e teve intervenção do diretório estadual. É bem provável que o vereador, assim que abrir a janela partidária deixe o ninho tucano para ingressar em outra sigla. Como fez Evandro Zambonato, hoje no PTB.

 

Cargos
Governador Eduardo Leite está de mãos amarradas em relação a nomeação dos cargos de segundo e terceiros escalões. É que muitos dos cargos pertencem a partidos que estão na base do governo e as negociações com os deputados avançam no sentido de conseguir aprovar projetos que são importantes na Assembleia, como a venda das estatais. Mudando os cargos agora, ele poderia comprometer esta negociação. Prefere esperar mais um pouco.


Sem correção
Quando a gente pensa que a coisa pode ficar um pouquinho melhor, vem um banho de água fria. Contrariando o que disse o presidente Jair Bolsonaro no último fim de semana, que havia determinado estudos para corrigir a tabela do IR, com 95% de defasagem, desde 1996 sem correção, o ministro da economia Paulo Guedes anuncia que estuda o fim das deduções com saúde e educação. Isso quer dizer que a tabela não terá correção e ainda o contribuinte não poderá deduzir os gastos que tem com saúde e educação. É mole?

 

Dirceu preso
O Tribunal Regional Federal da 4ª Região rejeitou o derradeiro recurso do ex-ministro José Dirceu, no âmbito de processo em que foi sentenciado a 8 anos e 10 meses de prisão, e determinou a execução provisória da pena. Com a decisão, o petista pode voltar à cadeia da Lava Jato. Já condenado em uma primeira ação da Lava Jato a 30 anos, nove meses e 10 dias de reclusão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência a organização criminosa, Dirceu encontra-se em liberdade por decisão da 2.ª Turma do STF, que concedeu habeas corpus a ele para que a prisão não se dê antes do esgotamento da análise dos recursos nas Cortes superiores. (AE)

 

Transparência I
A Ouvidoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) anunciou que passará a receber reclamações dos cidadãos quanto ao atendimento de solicitações encaminhadas via Lei de Acesso à Informação (LAI) às administrações municipais e estadual. Segundo o conselheiro ouvidor, Pedro Figueiredo, os portais de transparência do Estado e dos Municípios avançaram bastante com relação à disponibilidade de dados. Entretanto, há deficiências importantes a serem superadas quanto à chamada transparência passiva.

 

Transparência II
“Tem sido comum que cidadãos tenham seus pedidos de informação negados com base em argumentos equivocados. Há, também, situações onde os serviços exigem justificativa dos pedidos, o que é expressamente vedado pela LAI”, declarou. De acordo com o conselheiro, denúncias encaminhadas à Ouvidoria do TCE-RS a respeito desses temas serão importantes para que o Órgão de Controle possa montar uma matriz de risco orientando sua fiscalização em todas as regiões do Estado. “Cuidados desse tipo contribuem para que a administração pública do Rio Grande do Sul seja cada vez mais transparente”, concluiu.

 

Ditadinho
Tem um ditado que é batata: "Quem tem telhado de vidro não atira pedras ao do vizinho." É, pois é!

Gostou? Compartilhe