Fatos 24 e 25-03-2018

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Cadeado na porteira!

“Eu não sou PT, mas se a festa é do Inter eu não vou lá incomodar com a camisa do Grêmio”. A frase simples, dita por um taxista no fim da tarde desta sexta-feira, depois que o palanque para o ato de Lula já estava sendo desmontado no centro de Passo Fundo, resume um sentimento que deveria ser compartilhado por mais pessoas. Vivemos tempos obscuros e se a pré-campanha eleitoral começa com este nível de agressão, imaginem como será a campanha. O dia 23 de março de 2018 ficará para a história de Passo Fundo e que será contada como vitória ou derrota dependendo do lado em que os grupos estiverem posicionados. Para os ruralistas, uma vitória o fato de impedir a Caravana de Lula de entrar na cidade. Era o grande objetivo do grupo que foi organizado pelo Sindicato Rural. Para os que esperavam Lula, um flagrante desrespeito à Constituição que assegura o direito de ir e vir. Foram impedidos de manifestar. Passo Fundo, uma terra acolhedora, de Jornadas Literárias, Festivais de Folclore, que acolhe gente do mundo todo sem olhar cor, credo ou ideologias políticas, não é mais a mesma. Só falta passar o cadeado!

Hostilização

Jornalistas foram hostilizados em determinado momento da manifestação que interrompeu a ERS 324, no entroncamento com a BR 285. A jornalista Débora Ely da ZH passou por momentos tensos. Mais tarde, os jornalistas de ON que estavam cobrindo a manifestação tiveram que solicitar a interferência do presidente do Sindicato Rural, Jair Dutra Rodrigues, que prontamente atendeu. Pediu desculpas pelo excesso de alguns, salientando que aquela não era intenção do movimento.

Transtorno por transtorno

Se a justificativa para não realizar o ato da Caravana de Lula na UFFS era evitar a utilização do espaço público e não perturbar as aulas dos estudantes de medicina, a regra só valeu para um lado. A Capitão Araújo, em frente ao novo prédio da instituição foi bloqueada logo cedo na manhã de sexta-feira por manifestantes contrários à caravana. Um caminhão palco ficou estacionado na via e um guindaste levantou com um banner do boneco ‘Pixuleco’. Conclusão: não teve aula na Universidade e os alunos foram transferidos para outro espaço. O detalhe que é a prefeitura não havia recebido solicitação para bloquear a via, que acabou por ocasionar transtornos a muita gente. Também não recebeu pedido para bloquear a Avenida Brasil com a Bento Gonçalves.

Lista

Não me surpreenderei se surgir uma lista de ‘personas non gratas’ em Passo Fundo. Afinal, aqui só entra quem a cidade quer, não é mesmo?

Lado

E outra coisinha, não queiram me rotular disso ou daquilo. Nos meus 35 anos e lá vai bico como profissional da comunicação já fui de tudo um pouco, dependendo do lado que desagradar. Sigo firme só como jornalista.

Gostou? Compartilhe