Fatos 25.10.2019

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Fechando no azul

De toda a crise a gente sempre tira uma ou várias lições. Foi o que fizeram muitos prefeitos gaúchos. Aprenderam que de um limão pode se fazer uma bela limonada. Aperta aqui, ajusta ali e pode ate sobrar dinheiro para investimento. A prefeitura de Carazinho, por exemplo, vai encerrar o ano, com R$ 10 milhões em caixa e contas no azul. O prefeito Milton Schmitz não só fez o dever de casa nestes três anos de mandato, como utilizou toda a sua experiência como gestor da iniciativa privada para colocar as contas em dia do Poder Público Municipal. Schmitz, que é um estreante na política, tomou uma série de medidas para que isso acontecesse. Uma delas ainda surtirá resultado futuro. A prefeitura vai substituir as atuais lâmpadas da iluminação pública por uma tecnologia mais eficiente como o led. Nos próximos 120 dias o município vai instalar 9,5 mil lâmpadas em toda a cidade. Hoje a conta que a prefeitura paga à Eletrocar é de R$ 220 mil por mês. Com as lâmpadas mais econômicas, a conta será de R$ 80 mil. Em cinco anos, só com essa economia, o investimento feito para a aquisição das lâmpadas estará pago.

Homenagem

O advogado Irineu Gehlen será homenageado pela Câmara de Vereadores com o título de Vereador Emérito. A solenidade será no Plenário na próxima quarta-feira, 30 de outubro, às 19h.

Conta salgada

Sobre cartões corporativos da Presidência da República, leitor da coluna recorta uma matéria da Folha de São Paulo para mostrar que os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff foram tão gastões ou mais do que o atual presidente Jair Bolsonaro. Para se ter uma ideia dos números, de acordo com a Folha, a fatura dos cartões corporativos da Presidência subiu 46,3% enquanto Dilma comandou o País, em relação aos governos Lula. “A média anual de gastos passou de R$ 12,7 milhões, entre 2003 e 2010, para R$ 18 milhões de 2011 até maio de 2016, quando o impeachment de Dilma foi aprovado no Senado. No total, Lula gastou R$ 102,3 milhões em 8 anos, contra R$ 95,9 milhões de Dilma em 5 anos e 5 meses”. Ainda conforme levantamento do jornalista Claudio Humberto, que é colunista da Folha, no primeiro ano de mandato, em 2003, Lula gastou R$ 8,3 milhões em compras com cartões corporativos da Presidência. Em 2010, último ano do mandato, Lula gastou R$19 milhões. Só foi superado em 2014, por Dilma: R$21,2 milhões. Dispensa dizer que é condenável sob todos os aspectos, independentemente do presidente ou partido que for.

Fez o mesmo

O presidente Jair Bolsonaro é cobrado pelos gastos que faz com cartões corporativos porque, em 2008, quando era deputado pelo PP, fez um estardalhaço por conta dos gastos do ex-presidente Lula e pediu para que as faturas fossem abertas. Hoje na condição de presidente ele faz exatamente o que sempre criticou: gasta da mesma forma e não revela onde. Eis a incoerência. “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço” é o que tem balizado a conduta presidencial.

China ‘capitalista’

Entre agradar eleitores da ala da extrema-direita e direita do país, Bolsonaro optou por mudar o discurso e se aproximar dos negócios. A China é o mais importante parceiro comercial do Brasil com US$ 72,8 bilhões de transações em 2019. Na campanha, Bolsonaro chegou a dizer que “a China não estava comprando no Brasil, mas comprando o Brasil”. Agora diz que a China é um país Capitalista (SQN), apesar de ser o mais comunista de todos, abre as fronteiras para os chineses sem exigência de visto e apresenta empresas brasileiras que podem ser compradas por eles.

@startupdareal

 “A distorção é tão bizarra que dizem o Brasil era socialista na era PT, mas chamam a China, declaradamente comunista e com um modelo de economia interna totalmente baseada no Estado, de capitalista”.

Expediente

Na próxima segunda-feira, embora seja ponto facultativo em função do Dia do Servidor Público, o prefeito Luciano Azevedo e o gabinete farão expediente normal.

Tabuleiro

Vindo de um partido que será oposição na campanha de 2020: “O prefeito Luciano tem tudo para fazer o seu sucessor. Vem entregando obras e mais obras e até o próximo ano a Avenida Brasil terá sido revitalizada. Só tem um detalhe: falta o candidato”. E essa indefinição só cria ansiedade nos adversários.

Licitação

Com a suspensão dos prazos do Judiciário por conta da greve dos servidores, processos importantes da esfera municipal ficam parados. É o caso da licitação do transporte público de Passo Fundo.

 

 

Gostou? Compartilhe