Fatos 31.10.2018

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O voto do agronegócio
O Agronegócio representa 25% do PIB brasileiro e colabora com 32% dos postos de trabalho no país. É o setor da economia que vem segurando o país neste crise sem fim. O setor foi determinante na eleição de Jair Bolsonaro, PSL, presidente da República. O Rio Grande do Sul, por exemplo, além de eleger Bolsonaro, também elegeu um senador representando o Agro:Luiz Carlos Heinze, PP. Mas o que o Agro espera e quer do governo de Bolsonaro? Quais são os interesses que mobilizam o setor? Para o professor, pesquisador e especialista neste tema, Elmar Floss, a garantia dada pelo presidente eleito de direito a propriedade foi fundamental. A motivação tem por princípio o que o setor entende por insegurança jurídica, segundo Floss, sseja pela permanente ameaça de invasões do MST e as desapropriações para formação de reservas indígenas, mesmo onde não havia índios até a promulgação da Constituição de 1988.


Armas
Outro componente decisivo foi a promessa do presidente eleito em facilitar o acesso às armas para defesa pessoal na propriedade. E essa mudança no estatuto do armamento já movimenta o Congresso e acende o interesse de multinacionais que querem vender armas ao Brasil.

 

Infraestrutura
Por fim, há o compromisso de Bolsonaro em melhorar a infraestrutura logística para o escoamento da produção em todos os modais. “Nos últimos anos essas obras foram realizadas em outros países alinhados ideologicamente e não no Brasil”, segundo Floss. Agrega-se a isso, a promessa de que o Brasil vai buscar novas relações comerciais com países para aumentar nossas exportações de produtos agrícolas. “O agronegócio votou contra quem deixou de fazer os investimentos que deveriam ter sido realizados nos últimos governos”, analisa.

 

Nova loja
A rede Comercial Zaffari está investindo R$ 15 milhões na sua nova loja que será inaugurada no Passo Fundo Shopping, dia 8 de novembro. A loja tem mais de 4 mil m² e um dos diferenciais da operação será o funcionamento de self-checkouts. A tecnologia fará parte do empreendimento: o cliente poderá pagar pelo smartphone ou outros dispositivos móveis. Alguns carrinhos de compras terão lupa integrada para facilitar a leitura das embalagens de produtos, além wi-fi liberado. Esta será a oitava loja da Comercial Zaffari em Passo Fundo.

 

Apoio
Mobilização em torno do vereador Luiz Miguel Scheis, PDT, para a presidência da Câmara em 2019, tem apoio de Mateus Wesp, PSDB.


Rápidas
* O chamado “grupo de Brasília”, comandado pelos generais da reserva Augusto Heleno e Oswaldo Ferreira, querem 25 nomes dos seus na equipe de transição, coordenada pelo deputado Onyx Lorenzoni.

* Bolsonaro diz na TV Globo que o jornal Folha acabou, ao se referir a reportagem que denunciou fianciamento empresarial de fake news contra o PT. Por conta disso, uma campanha a favor da Folha ganha força nas redes sociais. Mas, o presidente do PSL Bebbiano disse que a liberdade de imprensa será respeitada e não há ameaça de tirar a publicidade oficial de nenhum veículo. “É preciso ter equilíbrio e critério técnico”, disse.

* Há um claro descompasso nas declarações do presidente eleito e equipe.

Gostou? Compartilhe