Frango e Jerusalém

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Certamente o presidente da Associação Brasileira de Produtos Animais, Francisco Sérgio Turra, anda preocupado com os rumos da exportação de frango brasileiro. Isso, depois de recuperação no último trimestre que consolidou a demanda mexicana. Acontece que a Liga Árabe, fiel compradora de nossa indústria de carnes, especialmente frango, anda incomodada com o anúncio de Bolsonaro em transferir a embaixada Brasileira de TelAviv para Jerusalém. Árabes, em reunião no Cairo nesta semana, aprovaram resolução repudiando a medida anunciada pelo futuro presidente e expediram nota solicitando que o Brasil abandone a ideia. Entendem que isso significaria intervenção desnecessária. Jerusalém, ao longo dos últimos 70 anos é, segundo a ONU, território “corpus separatum”, status internacional, como forma de conciliar interesses de ocupação de Israel com palestinos da banda oriental. Sem aprofundar o mérito da opção brasileira, seguindo orientação de Donald Trump, na aproximação com Benjamin Netanyahu – mandatário de Israel, a medida poderá ser sopesada. O que pode ser bom para futuras relações com Israel dificulta negócios com os árabes, que pressionam o Brasil, com ações políticas, diplomáticas e principalmente econômicas. A compra de frango brasileiro é garantia de bons negócios brasileiros, com repercussão na economia do campo e da cidade. Suspender a compra não seria bom também para a Liga Árabe, que pede respeito ao direito internacional. A estrutura que garante abate de animais em frigoríficos do Brasil, para importação árabe, é específica porque respeita o ritual muçulmano. Neste ano já tivemos dois golpes danosos para avicultura: greve dos caminhoneiros e embargo europeu. Um terceiro golpe seria demais.E na Terra Santa, quando o galo canta pela terceira vez, pode haver arrependimento.

 

Joenia
Aos 43 anos, JoeniaWapichana, é a primeira indígena a ser eleita deputada federal. Disputou a eleição pela REDE Sustentabilidade. Advogada e defensora dos direitos indigenistas é reconhecida em Roraima como guardiã dos recursos naturais além das causas específicas nativistas. Foi homenageada pela ONU nas comemorações dos 70 anos dos Direitos Humanos. A deputada adotou plenamente a intuição de que “o futuro melhor é possível”.

 

Demarcação
Depois de anunciar que a demarcação de terras indígenas seria competência do Ministério da Agricultura, Bolsonaro muda o foco e diz que será assunto a ser decidido por Conselho interministerial.


Auxílio moradia
O Conselho Nacional de Justiça aprovou com agilidade a restauração do auxílio moradia para magistrados. As restrições para o recebimento da verba de R$ 4.377,00 reduz o acesso, por ora,ao auxílio. Mas, quem garante que a vantagem não retomará os rumos perdulários no país dos privilégios e das diferenças sociais enraizadas?


Fujões
A polícia anda à procura de Cesare Battisti, para mandá-lo de volta à Itália. Fabrício Queiroz, assessor de Flávio Bolsonaro, que demorou para ser encontrado, finalmente foi localizado.

 

Faculdades
Assim está difícil: 3% dos cursos superiores do Brasil alcançam nota máxima na avaliação do MEC!


João de Deus
Depois de convencer multidão que acreditou em seus dons sobrenaturais de cura, aos 77 anos o médium mergulha no vale profundo das denúncias pela prática de crimes. Crimes sexuais hediondos, centenas, são atribuídos a ele. Usou da ingenuidade de pessoas aflitas e fragilizadas física ou psicologicamente para praticar estupros e ameaçar integridade física. Financeiramente é poderoso. Algumas denúncias indicam fatos atingidos pela prescrição, que o beneficia em função da idade. Há, no entanto, um turbilhão de depoimentos que podem robustecer a prova de crimes. As revelações divulgadas repugnam ao senso de humanidade. Pelo visto estamos diante de um ser irremediavelmente condenável, na categoria de monstro, mas ainda chamado João de Deus. A ira legítima que as pessoas sentem só permite julgar as atitudes pérfidas narradas, mas o tipo criminoso depende de provas sobre autoria.

 

Sistema S
O futuro ministro Paulo Guedes anuncia cortes no orçamento do sistema S (Sesi – Sesc – Senai). Segmentos empresarias estão assustados com a possibilidades de fechar escolas profissionalizantes.

Gostou? Compartilhe