Governo anuncia, mas escolas ainda não foram notificadas do repasse

Anúncio de destinação de R$1,230 milhão para sete escolas de Passo Fundo ainda não foi oficializado. Demandas para aplicação dos valores não faltam

Escrito por
,
em
Melhorar a infraestrutura é o planejamento da Escola Eulina Braga

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O governo do Estado anunciou nesta semana a liberação de um pacote de verbas num total de R$ 53,3 milhões do Programa Autonomia Financeira 2018, que vai beneficiar 349 escolas da rede pública estadual. Em Passo Fundo, sete escolas foram contempladas com recursos que chegarão a R$ 1,230 milhão. Os repasses vão direto para cada instituição de ensino e os recursos devem ser utilizados, exclusivamente, em reformas e ampliações. Mesmo ainda não comunicadas oficialmente do repasse, destino é o que não falta para a verba nas escolas estaduais do município.


As escolas contempladas nesta edição do programa do governo estadual em Passo Fundo são: Professora Eulina Braga, com R$ 150 mil; Instituto Estadual Cardeal Arcoverde, R$ 150 mil; Instituto Estadual Cecy Leite Costa, R$ 150 mil; Escola Adelino Pereira Simões, R$ 330 mil; Escola Professora Lucille Fragoso Albuquerque, R$ 150 mil; Escola João de Cesaro, R$ 150 mil; e Escola Ana Luíza Ferrão Teixeira, R$ 150 mil. Juntas, essas escolas atendem cerca de 3,5 mil crianças e adolescentes no ensino fundamenta, médio e cursos técnicos.


Até a manhã de ontem, as escolas não haviam sido comunicadas oficialmente sobre o recurso. Mesmo assim, destino é o que não falta. Na escola Eulina Braga, por exemplo, a direção da escola, que tem cerca de 400 alunos, planeja aplicar o recurso para melhorar a aparência e a infraestrutura do prédio e entorno. O intuito é poder realizar a pintura da escola, refazer um dos muros que está em situação precária e reformar as calçadas. Tudo isso, claro, se o recurso for suficiente.


O Instituto Cecy Leite Costa, que tem hoje cerca de 850 alunos, também não recebeu a informação oficialmente. Mesmo assim, a direção já imagina alguns possíveis usos para o dinheiro. A construção de um refeitório e a reforma do telhado do prédio onde funciona o curso técnico em Eletrônica estão entre as prioridades. No entanto, é necessário verificar se o recurso será suficiente e se alguma destas será a destinação definida em consonância com o Conselho Escolar.


A redação tentou entrar em contato com o coordenador da 7ª Coordenadoria Regional de Educação, que cumpria agenda Porto Alegre, a fim de obter informações sobre a forma de recebimento e notificação desta verba para as escolas, mas até o fechamento desta edição não conseguiu contatá-lo.


Recursos
Os recursos são provenientes do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird) e do salário-educação. Os repasses vão direto para cada instituição de ensino e os recursos devem ser utilizados exclusivamente em reformas e ampliações. Esta é a terceira edição do programa, iniciado em 2016 e que já atendeu 1.002 demandas, totalizando R$ 134 milhões.

Gostou? Compartilhe