Idosos teriam sido infectados por contaminação cruzada

Surto de Covid-19 foi identificado na quinta-feira (23)

Escrito por
,
em
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os 48 idosos residentes na casa de longa permanência Nossa Senhora da Luz, localizada no bairro Lucas Araújo em Passo Fundo, teriam sido infectados pelo novo coronavírus através de uma contaminação cruzada. 

Embora a testagem para o Covid-19 tenha resultado positivo para 19, todos foram colocados em quarentena no abrigo pelos próximos 14 dias. Como dividem o mesmo ambiente, segundo explicou a vice-diretora do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Cristine Pilati, a equipe médica não teria como garantir que os demais não tivessem contraído o vírus. “Alguns já desenvolveram anticorpos de memória e estão curados”, afirmou. 

Ainda que os primeiros sintomas tenham se manifestado no organismo de dois idosos na quinta-feira (23), quando foram encaminhados ao HSVP com um quadro clínico febril, a suspeita é de que o vírus estivesse circulando no ambiente desde o início do mês e se comportado em alguns pacientes de forma assintomática. O contágio desenvolvido a partir dos casos confirmados e contactantes foi revelado no sábado (25). 

Alteração de rotina

Desde março, como pontuou Cristine, os idosos não recebem visitas de familiares e todas as doações foram suspensas durante a pandemia por uma medida provisória que regula a novas diretrizes a serem adotadas nas casas de longa permanência. Em quartos individuais ou em dormitórios que abrigam até quatro idosos, as refeições já vinham sendo adaptadas e servidas a eles em grupos reduzidos para evitar aglomeração. A lavagem de roupas também foi modificada para evitar o contágio daqueles em que a testagem sorológica rápida não identificou sensibilidade para a infecção por coronavírus. 

Com uma faixa etária estimada em 75 anos, todos eles, como mencionou a vice-diretora, possuem algum grau de demência e comorbidades, como diabetes e hipertensão. “O lar não é uma prisão. Não tem como deixar um idoso trancado, sem contato com os outros”, enfatizou. O surto da doença, segundo ela, já foi controlado. Tão logo os primeiros sintomas foram apresentados, na última semana, uma equipe multiprofissional do Hospital São Vicente de Paulo foi formada, com 6 enfermeiros, 3 médicos, 2 médicos residentes em geriatria, 2 técnicos em enfermagem, além de um engenheiro do trabalho e um médico do trabalho, para atender os demais pacientes e colaboradores do lar. 

Dos 46 testes realizados nos funcionários responsáveis pelo atendimento diários aos idosos, apenas um foi inconclusivo para coronavírus, conforme revelou Cristine. A funcionária foi afastada das funções laborais e aguarda para a realização de mais um exame, ainda nesta semana. “Está controlado”, assegurou a vice-diretora. 

Gostou? Compartilhe