Igreja Universal eleitoral

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A onda de crescimento da candidatura de Bolsonaro parece propensa a alcançar movimento rápido, segundo as pesquisas. A imprensa comenta a adesão da bancada ruralista no Congresso Nacional. Entendemos que isso não é fenômeno, pois as pressões reducionistas às conquistas históricas do trabalhismo, a banalização da caminhada da consciência ecológica nas reservas florestais, redução de empregos, anteciparam ao líder conservador os primeiros impulsos. Não há novidade. A declaração aberta de apoio religioso do bispo Edir Macedo, da Igreja Universal, este sim define o surto. Esse comando tem sido decisivo e praticamente inabalável para o sucesso de Bolsonaro. Não se trata de ideologia política ou contexto social, mas é revoada de cunho teocrático, condicionada à formação de um poder estratégico. Não se trata de convencimento de opinião sociológica em estado laico, mas de determinação inelutável como inspiração espiritual e comando pastoril. As ações que misturam crenças próprias religiosas são transpostas ao campo político partidário. Este é o fenômeno, independente de méritos ou obsessões de crenças. É a tendência de adesão de voto canalizado coletivamente de forma messiânica. A igreja Universal é um poder na América. É só verificar a série em massa de torpedos contra o candidato Haddad, numa versão pragmática e alucinada que identifica a bandeira religiosa. E nem a lei eleitoral proíbe isso, ou outras versões de candidaturas contrárias. Dificilmente esta influência deixará de ser decisiva. O fator desequilibra as influências eleitorais.


Voz de Deus
É antiga a conotação política ligada à literatura através de expressões que atribuem à divindade o resultado dos acontecimentos. A história brasileira remanesce de uma tradicional ligação mantida até o final do século 19, quando a igreja Católica era vinculada ao estado. No senado romano o resultado eleitoral era recepcionado com expressões como “vox Populi, vox Dei”(a voz do povo é a voz de Deus), quando atendia expectativas dos senadores. Ao mesmo tempo usavam a expressão “vox populi, vox diaboli” (a voz do povo é a voz do diabo), surpreendidos com resultado contrário. Essa visão estranhamente antecede à necessidade gritante do trabalhador desempregado ou da criança fora da escola. São milhares de anos em que as pessoas, teleguiadas ou não, abdicam do enfrentamento direto com a realidade material da vida. É a omissão em relação ao indivíduo que torna as pessoas rebanho, mergulhando no marasmo. Os círculos fechados têm induzido a exclusões, embora a inspiração divina seja vertente de fraternidade. A voz de Deus não é ditada pelos humanos. Por isso, também, os ditadores não agradam a Deus. É complicado discutir política partidária misturada à religião.


Manipuladores
A história dos manipuladores da opinião pública não é recomendada ao longo da vida humana. Paracelso celebrizou a expressão: o mundo quer ser enganado, pois que o seja. É a falta de escrúpulo perigosíssima!

 

Saneamento
O jornal ON trouxe matéria sobre a qualidade de água de nossos rios e riachos. Os testes apontam resultados preocupantes. É alerta que fazemos com insistência sobre a necessidade de ativar sem limites as práticas de saneamento. Esgotos a céu aberto, córregos contaminados, é resultado de ausência de coleta e destinação dos dejetos. O rio é nosso espelho borrado de tudo o que não resolvemos num país com baixo índice de saneamento. A vontade de viver, respirar, ir e vir com condições de saúde continua uma aflição que oprime os pobres e atinge também os ricos.

Arbitrários
Cuidado com as mentes arbitrárias. A pregação da violência e ódio da discriminação ilude os que desejam a disciplina como virtude. Quem faz apologia da tortura agride corpo e alma do cidadão e tenta ludibriar a consciência humana.

 

Democracia
O resultado desta eleição presidencial é a grande incógnita. Mesmo sofrida, a democracia, a liberdade como conquista, que não venha a ser destruída. Resultado das urnas é a expressão de nossa gente.

Gostou? Compartilhe