Laboratório do HC: Novos equipamentos qualificam resultados de análises clínicas

Laboratório de Análises Clínicas do Hospital da Cidade é o maior laboratório em área física da região

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Laboratório de Análises Clínicas do Hospital da Cidade (LabHC) destaca-se em qualidade e precisão diagnóstica, competência consolidada através da Acreditação de seu Sistema de Gestão da Qualidade, expedido pelo Departamento de Inspeção e Controle da Qualidade da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (DICQ-SBAC), que segue padrões nacionais e internacionais de qualidade e competência, analisando, a partir de rigorosas inspeções, desde o atendimento até a emissão de laudo e descarte de materiais biológicos.

Além da aptidão técnica, equipamentos de ponta colaboram na qualidade dos processos laboratoriais. Visando acompanhar os avanços tecnológicos na área, o LabHC investe na aquisição de novas tecnologias que aperfeiçoam os resultados laboratoriais e asseguram maior eficiência nas etapas do diagnóstico.

Entre as aquisições está aparelho de automação em microbiologia VITEK 2 Compact, instalado no setor de Microbiologia do LabHC. O equipamento realiza automaticamente a identificação e o antibiograma de micro-organismos fastidiosos podendo liberar os resultados entre duas e 18 horas. Agilidade que permite o diagnóstico laboratorial de forma mais eficiente, preservando a qualidade diagnóstica, um dos pilares do LabHC. O equipamento permite também que os resultados dos antibiogramas sejam todos liberados em concentrações inibitórias mínimas (MIC) para cada antimicrobiano, melhorando a eficácia do tratamento.

“Eficiente e inovador, melhora o fluxo de trabalho e permite a liberação de resultados críticos em menor tempo, com início precoce da antibioticoterapia adequada para o paciente”, explica farmacêutica e bioquímica, especialista em gestão de laboratórios clínicos e responsável técnica do LabHC, Sinara Guzzo Chioquetta.

A preocupação com a qualidade e eficiência no diagnóstico, que acompanha o desenvolvimento do LabHC, também é garantida pelo investimento em dois equipamentos no setor de hematologia “o analisador hematológico Sysmex XT-2000i utiliza a tecnologia de citometria de fluxo fluorescente com laser semicondutor e foco hidrodinâmico que traz a sensibilidade necessária para quantificar e diferenciar as classes celulares. Essa tecnologia permite a diferenciação com maior sensibilidade das populações normais e anormais, diminuindo assim o número de revisões manuais”, destaca. O analisador hematológico Sysmex XE-2100, também em funcionamento no LabHC contribui para a resolutividade através de tecnologia específica que contribui para a diferenciação das classes celulares.

O Laboratório de Análises Clínicas do Hospital da Cidade é o maior laboratório em área física da região e atende a demanda externa de clínicas e consultórios privados, dos ambulatórios internos da instituição, exames solicitados pelos postos de internação do Hospital da Cidade e Hospital Psiquiátrico Bezerra de Menezes, além de quatro unidades de saúde municipais, destacando-se nos serviços de Citologia, Micologia, Bioquímica, Imunologia, Hematologia e Bacteriologia.

Desde 2016, o LabHC utiliza também a metodologia HPLC (cromatografia líquida de alta eficiência) D-10TM System Bio-Rad, certificada pelo NGSP (National Glycohemoglobin Standartdization Program - USA) para a dosagem de hemoglobina glicada. Por não sofrer interferências é considerada metodologia de referência para este analito, significando mais controle e confiança nos resultados. A dosagem de hemoglobina glicada (HbA1c) é considerada parâmetro essencial de avaliação do diabetes devido à relação muito próxima de seu nível e o risco de desenvolvimento de complicações da doença. “Todo este conjunto de informações ainda permite a realização de relatórios para estudos epidemiológicos personalizados de acordo com a necessidade de cada instituição, o que contribui diretamente com o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar na melhoria dos processos do controle e da segurança do paciente”, finaliza Sinara.

Gostou? Compartilhe