Moradores protestam na UBS

Serviço está parcialmente interrompido na unidade

Por
· 1 min de leitura
Manifestação aconteceu na quarta-feira (04)Manifestação aconteceu na quarta-feira (04)
Manifestação aconteceu na quarta-feira (04)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Cerca de 40 pessoas protestaram ontem em frente a Unidade Básica de Saúde Jaime Debastiani, no Bairro Jerônimo Coelho. A unidade está com seu funcionamento parcialmente interrompido, porque o prédio sofreu mais uma vez com a ação do tempo. Em dias de chuva, como ontem, o local fica alagado, tem problemas estruturais e na rede elétrica. No momento, o atendimento está sendo realocado na UBS do Bairro Jardim América.

 

“Segunda-feira fomos até a unidade e comunicaram que não iria ter atendimento, direcionando para o Jardim América, onde já existe grande demanda. Não temos como ficar indo para lá e um prédio de três anos não pode estar em um estado tão deplorável. Se fossem feitas as manutenções, periodicamente, não estaria acontecendo isso. Assim estou dizendo as palavras da comunidade”, declarou uma das organizadoras da manifestação, Tainara Serafin.

 

O Bairro Jerônimo Coelho é referência em Passo Fundo no atendimento nos setores de cardiologia e fisioterapia. No entanto, sem as condições elétricas e estruturais, apenas serviços básicos, como medir pressão e medicação, estão sendo feitos na Unidade. A equipe foi realocada na Unidade Nossa Senhora de Aparecida, no Bairro Jardim América. “Estamos tratando desde o ano passado como remanejar a situação do Jerônimo. Encontramos problemas na fiação e resolvemos suspender parte dos serviços para não colocar em risco a população e equipe de saúde”, avisou a chefe do Núcleo de Ações Básicas, Marina Lazaretto.

 

O vereador Saul Spinelli, PSB alertou sobre a necessidade de um cronograma para expor as ações que serão feitas durante o período em que o atendimento segue parcialmente suspenso. Já a Secretária Municipal de Saúde, Carla Gonçalves, comunicou que ainda não existe um cronograma definido. “É uma obra feita pelo Estado. Estamos verificando as questões legais, se foi doada para o munícipio. O cronograma é o mais urgente possível”, completou. A grande chuva aconteceu no dia 12 de junho e devido ao alagamento da umidade, não foi possível utilizar ou tentar resolver os problemas elétricos. Outro fato bastante reclamado pelos moradores são os constantes assaltos que acontecem no prédio. De acordo com Carla, estão diretamente ligados aos problemas na rede elétrica e grades de seguranças estão sendo providenciadas.

Gostou? Compartilhe