Moradores querem transformar áreas verdes em parque

Comunidade cuida das áreas que são do Estado e busca transformá-las em novas áreas de lazer para a cidade

Escrito por
,
em
Moradores do bairro se unem para cuidar das áreas verdes e utilizá-las para o lazer e a convivência

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os moradores da Cohab Secchi querem transformar duas áreas verdes existentes no bairro em espaços de lazer para a comunidade. As áreas já são cuidadas e utilizadas pelos moradores, mas ainda precisam ser regularizadas. Elas ainda pertencem ao Estado, e dependem da doação ao município para que os investimentos necessários possam ser realizados.

Gelso Antonio Bertoncello é morador do bairro há 35 anos e é uma das pessoas envolvidas na conservação das áreas e realização de atividades para a comunidade nestes espaços. Como não há outros locais de lazer no bairro, os moradores se envolvem para aproveitar estas áreas para a convivência das pessoas. Eles mantém uma horta comunitária, utilizam os gramados para a prática de esportes e realizam atividades ao longo do ano. Os próprios moradores compraram um cortador de grama e sempre dividem os custos do combustível e o trabalho de manutenção. Cada um colabora como pode. Nestes locais já ocorreram três tentativas de ocupação.

Além destas áreas, no centro do bairro também há uma praça que os moradores ajudam a cuidar. As crianças da creche e mesmo o grupo da igreja utiliza o espaço para a realização de atividades diversas.

O que os moradores pedem

O vereador Saul Spinelli explica que uma das áreas fica de frente para a Avenida Brasil, próximo ao trevo da Caravela, e outra voltada à ERS-324. “São áreas cuidadas pela comunidade que corta a grama, planta árvores, flores, faz atividades como Natal, dia das crianças, semana farroupilha, usam para tomar chimarrão, as crianças jogam bola. A comunidade quer a realização de uma obra que consolide uma área de lazer com academia ao ar livre, pista de ciclismo, pista de caminhada, quadra de futebol de areia, brinquedos, e mais bancos para as pessoas poderem sentar e desfrutar das horas de lazer”, especifica.

Os moradores também mantêm uma horta comunitária. Nessa, eles cultivam algumas verduras e temperos que estão à disposição das pessoas.

Encaminhamentos

O vereador já encaminhou diferentes pedidos ao município para construção de um parque linear nas áreas das ruas Otacilio Lopes e Elvira Spery Benvegnu, com academia, quadras de areia, bancos e brinquedos; garantia de destinação da área para construção da Escola de Autistas Olga Caetano na Rua Rua Zero Hora ao lado da Igreja Santa Rita de Cassia; praça central com brinquedos e espaço para bicicleta; destinação de área para construção do ambulatório em área própria, na Rua Nilva Bilhar; além de articulação em Porto Alegre para doação da área do Estado para o município com previsão de projeto de lazer.

Spinelli explica que a transformação das áreas em parque irá beneficiar a toda a comunidade de Passo Fundo. “É uma área privilegiada para ser destinada ao lazer da comunidade de Passo Fundo, tal como hoje é o parque linear do Sétimo Céu. Se fosse fazer uma pista de ciclismo daria 1,5km de pista e é uma área para os ciclistas não da Cohab, mas da cidade. A preservação dessas áreas e a conservação são para a população”, enfatiza. O bairro é frequentemente utilizado por grupos de ciclistas, em função do menor fluxo de trânsito que garantem maior segurança.

O que diz o município

De acordo com a secretária de Planejamento, Ana Paula Wickert, a Cohab possui hoje amplas áreas verdes para as quais está em desenvolvimento uma proposta de ocupação incluindo equipamentos públicos e lazer. “Após a negociação da área do Estado que será repassada ao município podemos desenvolver um projeto diferenciado de Parque no Bordo do Bairro que poderá atender os demais bairros do entorno com soluções de lazer como a ciclovia”, pontua. Ela explica ainda que negociação com o Estado já está em fase final. Somente após a conclusão das negociações e repasse ao município será possível atuar na área. “Nossa intenção é criar na Cohab Sechi um projeto piloto de bairro integrado a um parque com amplas áreas verdes, como tem sido demandado pela comunidade”, esclarece. Além disso, o projeto arquitetônico da Escola dos Autista Olga Caetano já foi desenvolvido, encabeçado pela própria escola, porém a Secretaria está em contato com os ministérios para captar recursos para a obra.

Gostou? Compartilhe