O Antigo Chafariz

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Para quem gosta de histórias, aqui vai uma bem bacana sobre Passo Fundo, uma história da época em que quase tudo era terra de Cabo Neves. O mesmo possuía uma escrava chamada Mariana, que tinha um único filho, peralta e arteiro como qualquer criança. O menino era a alegria de sua mãe. Um dia a criança teria fugido deixando sua mãe sozinha, desolada, aos prantos, quando lhe restava apenas uma ultima gota de lágrima, o próprio filho de Nossa Senhora, que entendia muito bem a dor de uma mãe apareceu dizendo que o menino agora encontrava-se junto ao Pai. Disse ainda que pela dor que a mãe Mariana, estava sentindo, ele lhe concederia um pedido. Mariana pediu para ir ao encontro de seu filho, porém, como lembrança, que naquele local nascesse uma fonte de água, para que todos aqueles que bebessem dela, sempre retornassem para àquele lugar. É dessas palavras que teria vindo o ditado “quem bebe das águas da Mãe Preta a Passo Fundo sempre retorna”.


Se é uma história real ou não, não podemos afirmar, porém, na confluência das ruas Uruguai e Dez de Abril, está uma fonte, não a original que ficava quase no meio da rua, com seus tanques de água aonde as escravas durante o dia lavavam as roupas dos seus senhores e à noite abrigava os casais apaixonados que ali se encontravam para namorar. Por volta de 1965 começou a circular pela imprensa local uma discussão sobre a demolição ou não do velho chafariz. Alguns jornalistas defendiam fortemente a permanência do monumento histórico. O ator Delorges Caminha, em apoio à sua manutenção, fez alguns versinhos, expondo seus sentimentos em relação ao chafariz:

“Múcio de Castro, perdoa
Estes versinhos que eu fiz.
Parece uma coisa atoa,
Mas é amor ao chafariz.”...
“Moçada de Passo Fundo,
Onde eu nasci e fui feliz.
Ouvi o apelo profundo...
Salvem nosso Chafariz.”...
“Falta de amor ao passado,
É a prova triste e infeliz.
Não posso ficar calado,
Pois amo esse Chafariz” (...)

 

Já moradores da localidade, queriam a demolição dos tanques, tudo em nome do progresso do bairro. O senhor Vasconcellos em apoio aos moradores também fez alguns versos:
“Dá licença sr. Múcio
Vou mandar umas brasinhas
Em reposta ao grande artista
Ator Delorges Caminha.”
“Está muito aborrecido
Pelo menos é oque diz
Não consente que destruam
O seu velho chafariz.”
“felizmente o Cafruni
Meteu também o nariz
Se é prá o bem do boqueirão
Destruam o Chafariz.”
“Também o ilustre Prefeito
Teve uma idéia feliz
Aproveitamos a fonte
Mas destruam o Chafariz.” (...)

 

Em outubro de 1965 mulheres negras visitaram o então Prefeito de Passo Fundo Mário Menegaz, solicitando que fossem demolidos os tanques, mas que mantivessem a fonte, e que ali fosse feito um busto de uma mulher negra em homenagem a Mãe Preta. O velho chafariz foi destruído, apesar dos prós e contras. Agora em seu lugar existe uma praça com o busto que representa a Mãe Preta, uma placa com a lenda e uma bica d´água insalubre.

 

Acervo AHR
João Vitor da Costa Benedetti
Acadêmico do Curso de História/UPF

Gostou? Compartilhe