Soldado Ryan

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O filme de Spielberg conta o resgate de um soldado (Ryan) por uma patrulha chefiada por Tom Hanks porque uma lei americana diz que os pais de um soldado não podem ficar desamparados. Os 3 irmãos de Ryan haviam morrido na guerra e, era, por isso, inquestionável resgatá-lo. Nessa aventura outros soldados morreram para cumprir a missão. Quando resgatado Ryan recebe de Hanks a frase “muitos morreram por você, faça por merecer”.


O que acontece quando recebemos uma segunda oportunidade na vida após um infarto, queda de moto, separação de casal ou câncer, por exemplo? Acredito que há 2 tipos de reações: a primeira é mudar temporariamente e continuar a levar a vida como sempre fora: a segunda, é a mudança radical de hábitos após a água ter batido na bunda, infelizmente medida tomada por poucos. Nessas situações acima agimos reativamente como animais, por instinto.


O guru da existência, aquele que vai vender livros, fazer sucesso em palestras conhecidas como motivacionais sempre vai propor que o modelo vencedor não é nenhuma das opções acima. Vai dizer que, à semelhança de uma empresa, deveríamos corrigir rotas quando estamos na ascendente. É quando navegamos em águas calmas que temos que fazer a revolução, nada de se acomodar. Por que esperar o câncer, o infarto, o acidente ou o pedido de separação ou traição? Por que deixamos as gavetas das coisas erradas ou incompatíveis ficarem cheias? Nada é mais importante que nossos cotidianos, mesmo porque nem sabemos quantas músicas faltam para acabar o baile. Então o negócio é dançar, de preferência bem, do seu jeito legal, mesmo que desengonçado; mas, nunca conforme a dança. Faça o teu bailado ter a graça de ser feliz, seja na saúde ou na vida compartilhada com quem você ama e quem ama você.


Acredito que a vida dá sinais de que há algo errado e que mudanças são necessárias. Um casamento, por exemplo. É comum recebermos lamentos de que a coisa vai mal, que a pessoa está no limite daquele relacionamento falido. Mas, nada passa do lamento repetitivo. Um dia, em vez dos lamentos vem as lágrimas pela descoberta de um dos cônjuges de que havia uma terceira pessoa. E agora? A vida deu sinais intercorrentes solicitando correção ou atitude, como não foi assim feito, Deus ou a energia que impulsiona o mundo, adicionou outra pessoa. E agora, é só lamentos e lenços. Que faríamos se tivéssemos nova chance?
A vida não é só da gente. Tem pais e avós que acreditaram e acreditam na gente; há os filhos que esperam lições de superação para as armadilhas da vida. Não pense em suicídio quando as flechas atingirem o corpo. A vida não é de teu pertencimento somente, pertencemos e somos pertencidos. Na segunda chance que tiveres lembre de Hanks: “faça por merecer”.

Gostou? Compartilhe