Teclando

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os recalcados
Desde guri, ouvi muitas vezes alguém ser chamado de recalcado. A expressão tem muitos significados, da física à psicologia, o que lhe garante o sofisticado rótulo de polissêmica. Calcado nas lembranças que já passaram pelos meus neurônios, tenho uma concepção própria que liga seus múltiplos conceitos. A água represada tem uma energia que pode provocar tragédias. O mesmo ocorre com as frustrações, decepções e rejeições da vida. Quando acumuladas também representam um perigo. Observem que aquelas pessoas cheias de rancor ou mal resolvidas estão carregadas com uma força vingativa. Sorrateiramente, agem contra tudo e querem o pior para os outros. São de fato pessoas recalcadas, pois represaram toda a maldade que vivenciaram. Não abriram as suas comportas para o desabafo ou o perdão. Guardaram o ódio e são manipuladoras. Os recalcados são perigosos e buscam o topo para o exercício do maniqueísmo, pois alardeiam o bem para fazerem o mal. Silenciosamente, buscam espaços na sociedade para descomprimir a mola do rancor. Quanto mais poderosos, mais perigosos. Física, sociologia e lógica. Cuidado com os recalcados!

Falta uma luzinha

Na esquina da Avenida General Netto com a Rua Moron, a sinaleira tem um ciclo em que o fluxo de veículos é interrompido nos dois sentidos. É um tempinho dedicado aos pedestres. Isso é ótimo, pois permite um momento exclusivo para quem deseja ir de um lado da calçada para o outro. Agora só falta avisar aos pedestres, pois, infelizmente, quem vai atravessar a pista não sabe quando é o momento. O problema é que as sinaleiras para pedestres ainda não foram repostas naquele cruzamento. Aí fica difícil saber quando pode ou não pode atravessar. O tempo existe, mas não tem indicativo.


Bruxo
Mais uma vez, em suas previsões de final de ano para O Nacional, o espiritualista Carlos Magno Berra acertou no alvo. No esporte indicou mudanças favoráveis no comando do futebol passo-fundense. Disse que a Seleção Brasileira correria o risco de “um dinheiro” atrapalhar e não venceria a Copa do Mundo. Magno, foi ainda mais preciso em relação à dupla Gre-Nal. “Inter favorecido e grandes alegrias para o Grêmio”. Não deu outra, pois o Inter fez boa temporada e o Grêmio ergueu duas taças. Agora, já estou ansioso no aguardo da leitura dos búzios para 2019.

Aracaju
Alguns dias de férias e dei um pulo rápido até Aracaju. Uma viagem com duas ótimas notícias. A primeira foi que o avião decolou e pousou normalmente em Passo Fundo. Ufa. A segunda foi que conheci um pedaço maravilhoso do Nordeste. Gente receptiva e muito educada, paisagens deslumbrantes, comida deliciosa e preços muito convidativos. Em suas lindas praias, eles exploram o turismo sem explorar o turista. Belezas e encantos não faltam por lá. Fiquei apaixonado. Vou voltar.

Vacina
A vida é livre, leve e solta até o momento em que a idiotice do ser humano entra em cena. Mas, quem sabe um dia, a constante evolução da ciência permita a descoberta de uma vacina contra a idiotice. Não custa nada sonhar.

Trilha sonora
Ao violão a croata Ana Vidovic e a obra clássica do espanhol Isaac Albéniz: Asturias.

Gostou? Compartilhe