Teclando

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Carência e baixa imunidade
Será que a baixa imunidade estaria relacionada à carência afetiva? Não conheço argumentos científicos sobre isso. Porém, vamos avaliar o que vem ocorrendo comigo. Nos últimos meses foram inúmeras as tentativas para um bem elaborado jantar a dois. Preparar um bom prato é uma realização. Mas apreciar um jantar sozinho é uma tristeza. Até porque o mais importante para o ego do cozinheiro são os elogios. Então o jantar deve ser a dois. Bate-papo, bebidinhas, musiquinha e, por que não, luz de velas como no filme Candelabro Italiano? É sempre um momento envolvente, quando a troca de olhares deslumbra pensamentos implícitos que apelam pelo explícito. Nesse clima, na mais pura inocência do subconsciente, a sobremesa flutua entre a névoa da discrição. A escolha do cardápio não é o problema. O difícil é ouvir um ‘sim’ das convidadas. É bom esclarecer que nunca fui adepto dos classificados do tipo ‘troco carinhos por Reais’, o que considero muito impessoal. Isso, claro, restringe muito as oportunidades e dificulta as minhas tentativas.
Como ninguém gosta de ouvir um ‘não’, me carrego de coragem, respiro fundo e convido. As respostas podem ser criativas ou repetitivas. Mas vêm sendo sempre negativas. Algumas até acenam com a possibilidade, mas, na hora H, sempre surge um contratempo. Nesse momento elas têm uma agenda lotada e dinâmica. E, acreditem, ainda utilizam a velha dor de cabeça em sua linha defensiva. Porém, de forma antecipada. Sim, ouvi esses dias que ela estava com dor de cabeça. Na véspera! Então, acabei entrando numa rotina onde faço comida para dois, fico sozinho e nem imagino mais uma sonhada cereja do bolo. Um galeto primo canto, guarnecido por radicchio e sorrentinos, foi e voltou à mesa por dois dias consecutivos. Outra proposta teve um einsbein assado com batatas. Pois o dito joelho de porco desfilou entre a geladeira e a mesa por duas noites e, ainda, resultou em reforço para um feijão vermelho. Ou seja, o bom reaproveitamento é tudo diante do nada. Pois bem, então, concluo que a baixa imunidade que me atinge é consequência dos solitários jantares. Não apenas pelo fator emocional. Mas pela absoluta falta de cebola e alho na minha alimentação. Ou vocês pensam que eu seria louco de comer cebola e alho antes de um suposto e difícil encontro?

Vizinhos
Observo que os meus vizinhos do canteiro em frente também são ágeis para subir em árvores. Ora, como não há frutos e nem queijos dependurados nos galhos, por que as ratazanas se arriscariam em uma íngreme subida dessas? Desconfio que os ratinhos visitem os ninhos de passarinhos, onde o banquete seriam os ovos e os filhotinhos. Fico em dúvida, mas parece que esses ratos são bem mais rápidos do que os gatos que conheço.

Ingratidão
Na semana passada, o presidente do Paraguai esteve em Passo Fundo. Fiquei intrigado ao saber que ele não visitou o Camelódromo da Praça Tocchetto. E o pós-venda?

Destaques
A cada ano mais concorrida, a festa de entrega do Destaque Empresarial 2019 será na noite desta quarta-feira. A realização de O Nacional é para fechar o ano enaltecendo o empreendedorismo passo-fundense.

Trilha sonora
Em 8 de dezembro de 1980 John Lennon foi assassinado. Pouco antes, em 17 de novembro, havia lançado o álbum Double Fantasy. Mas a faixa de abertura do disco, um single, chegou antes. Em outubro já rodávamos na Planalto com exclusividade no estado: Starting Over
Use o link ou clique 
https://bit.ly/2rw7WRi

 

 

Gostou? Compartilhe