Telefones piratas

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma mega operação da Anatel (Agência Nacional das Telecomunicações) teve início no último domingo com o objetivo de bloquear os celulares “piratas” que circulam livremente no Brasil. Os celulares “piratas” são modelos que não possuem o selo de certificação da Anatel, responsável por fazer testes e garantir a compatibilidade dos aparelhos com a rede de telefonia brasileira. Esses aparelhos também não possuem certificação estrangeira aceita pela agência ou que tenham tido seu IMEI (espécie de RG do celular) alterado. O bloqueio da Anatel impedirá que os aparelhos façam ou recebam ligações, além de bloquear o acesso às contas de internet. As únicas ações que continuam funcionando nos aparelhos irregulares são os aplicativos e o wi-fi. Segundo dados da Anatel já foram bloqueados 244.217 celulares. No Rio Grande do Sul foram bloqueados 10.716 aparelhos. Os proprietários desses aparelhos estão recebendo a seguinte mensagem: "Operadora avisa: Pela Lei 9.472 este celular está irregular e não funcionará nas redes celulares em XX dias". O consumidor que tiver dúvidas quanto à procedência do aparelho de celular deve obter o número IMEI do aparelho e com este dado consultar o site da Anatel.

 

Defeito no produto: dente quebrado

Um consumidor de Brasília receberá indenização por causa de defeito em uma linguiça, que continha objeto estranho. Ao morder a linguiça, o consumidor teve um dente quebrado. Por decisão do 3º Juizado Especial Cível de Ceilândia, o fornecedor do produto terá que pagar indenização de R$ 4 mil por danos morais, mais R$ 1.715,00 por danos materiais, em razão da extração e correção do problema no dente.

 

Recall é obrigatório

No segundo semestre deste ano, segundo as expectivativas do Denatran, deverá ser regulamentada a decisão de que “o recall não atendido” pelo proprietário constará no Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) do seu carro. A alteração na legislação deve-se ao fato de que, de acordo com dados do Procon-SP, apenas 20% dos recalls chamados em 2018 foram atendidos voluntariamente pelos donos de veículos, o que acaba por causar riscos a futuros compradores dos veículos em caso de transferência de propriedade. No ano passado, ocorreram 142 recalls em todo o país envolvendo veículos automotores. O consumidor é obrigado a atender ao recall, tendo em vista que não sofrerá nenhum custo com a correção do defeito, sendo sua a responsabilidade por acidentes e danos causados em decorrência do não atendimento ao chamamento das montadoras de veículos.

 

Enxaqueca

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) autorizou a primeira droga especificamente criada para a prevenção de enxaqueca. O nome do produto é Pasurta e será comercializado pela Novartis. Nos EUA a droga leva o nome de Aimovig —fabricada pela Amgen e pela Novartis.

 

Júlio é advogado, Especialista em Processo Civil e em Direito Constitucional, Mestre em Direito, Desenvolvimento e Cidadania.

Gostou? Compartilhe