Voz afro na corte inglesa

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A solenidade de casamento do príncipe Harry com a modelo Meghan teve significado inelutável, além da de todos os charmes cinematográficos da Corte Inglesa. Referimo-nos à importância cerimonial deferido à presença de representantes negros, desde a mãe da noiva, o arcebispo de Canterbury, ou o Coral de descendentes africanos, da Inglaterra. Alguém pode ter se surpreendido com o trepidante cenário bretão, povoado pela importância da cor negra, em vozes ou manifestação religiosa, ou a interpretação magistral do violoncelista negro Sheku Kanneh Hason, 19 anos. Certamente quem queria assistir babaquice viu perplexo que o respeito e o valor humano podem coexistir nas cortes da alta nobreza. E assim foi. Sabe-se que a história da Inglaterra teve momentos bem diferentes, nos últimos séculos. No primeiro momento apoiou a escravidão negra e dela se aproveitou para erigir o grande império anglicano. Depois, a participação no combate ao tráfico de escravos e a severa vigilância nos mares.

 

Sinal dos tempos
Os rituais de Windsor por certo não apagarão os séculos de dominação e soberba nas colônias em todos os quadrantes do continente. Observa-se, no entanto, um gesto de reflexão em Londres descortinando uma aurora do pensamento com o respeito fraterno. O casal da família Real causou a maior sacudida na sociedade elitizada.

 

Meurer
Após 23 anos como parlamentar, o deputado Nelson Meurer, PP, poderá ser condenado pelo STF, que volta a reunir-se na próxima terça-feira. É o primeiro julgamento na suprema corte de réu da Lava Jato.

 

Mensalão tucano
Depois de vinte anos o ex-governador tucano Eduardo Azeredo é condenado em segunda instância a 20 anos e 1 mês de cadeia por corrupção. Como se vê, o Brasil já era viciado em falcatrua política há muito tempo. A condenação surpreendeu tucanos que apostavam na prescrição. No PSDB surgiram os vovôs da propina moderna. Tem-se a impressão que a condenação de Lula abriu as portas da punição para o crime organizado no poder. É certo que muitos vão escapar, mas muitos serão punidos.

 

Alberto Dines
A morte do inspiradíssimo jornalista Alberto Dines marca uma época de busca pela verdade na imprensa Brasileira. Sua verve retumbante preservou cristalinamente a idéia do jornalismo escrito e televisivo, no tom sempre profundo e elevado. Nunca lhe faltou o saber de enorme talento. Deixa-nos aos 86 anos com a imagem de lutador intimorato em favor da liberdade de expressão.


Henrique Meirelles
Em matéria eleitoral não dá pra subestimar a força de uma candidatura. Embora pareça um escrúpulo no sapato da oposição, Henrique Meirelles lançado candidato do MDB é do poder e tem o partido mais forte. Bolsonaro terá que enfrentá-lo.

Tarso em documentário
A memória em produção cinematográfica de Tarso de Castro é documentário sobre trajetória de enorme apreço para cultura jornalística. Enfrentou duras jornadas que podem ficar despercebidas no seu estilo sarcástico e bem humorado, mas de forte ousadia desmistificadora. Talento invejável que semeou coragem invulgar ao desmistificar o poder arbitrário. A obra certamente merece ser conhecida no mundo.

Ricordi D’Itália
A semana que passou teve duas apresentações primorosas do Coral Ricordi D’Itália de Passo Fundo. Uma delas no hotel de Machadinho, com amplo repertório. No sábado o encontro de coros de música italiana no município de Protásio Alves. São três décadas de atividades artísticas e culturais, de um grupo voluntarioso liderado Glaci Bortolini, os mestres Teresinha Fortes, David Reginatto, a pianista Márcia Oltramari e o acordeonista Miguel Pereira.

Pedofilia
A Igreja Católica debate-se diante dos casos de pedofilia na sociedade clerical. O importante é dar transparência e combate a esta desfiguração de caráter de uma minoria. É bom esclarecer que essa deformação nada tem a ver com o celibato, que é considerado dom de se manter solteiro na vida religiosa. Não manter o celibato não é crime. Pedofilia é perversão, combatida pela humanidade, o Papa e toda a Igreja.

Gostou? Compartilhe