Convênio entre a UPF e municípios realizará testes de diagnóstico da Covid-19

Mais de 1200 diagnósticos devem ser realizados

Por
· 3 min de leitura
A parceria foi formalizada nesta manhã (Fotos: Divulgação)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Fundação Universidade de Passo Fundo (FUPF) firmou convênio com 12 municípios da região Norte do Rio Grande do Sul para a realização do diagnóstico da Covid-19. A parceria segue o processo já estabelecido com o município de Passo Fundo que vem sendo desenvolvido desde o mês de abril. A formalização do convênio foi realizada na manhã desta quarta-feira, dia 15 de julho, por meio de um encontro on-line. Integram o convênio os municípios de Camargo, Casca, Coxilha, David Canabarro, Gentil, Marau, Santo Antônio do Palma, São Domingos do Sul, Vanini, Nova Alvorada e Vila Maria, além de Erechim. 

As prefeituras realizarão a coleta das amostras em seus municípios. Elas serão analisadas para otimização dos resultados do diagnóstico e será realizado o transporte para o seu deslocamento até o laboratório localizado no módulo 2 do UPF Parque, onde são realizadas as análises. Os testes são RT-PCR (Real Time Polimeraze Chain Reactions) para detecção do Coronavírus – Covid-19. A UPF produzirá os relatórios conclusivos referentes aos testes e fornecerá o treinamento para as equipes técnicas dos municípios. Ao todo, devem ser realizados mais de 1200 exames. 

O Laboratório de Diagnósticos do Sars-Cov2, onde são realizados os diagnósticos, foi montado com equipamentos da Instituição que foram adquiridos por meio de recursos de projetos de pesquisa. O laboratório está baseado em um método de diagnóstico chamado de molecular metodologia, que busca amplificar o material genético do vírus e detectar o vírus nas pessoas infectadas, diagnosticando, dessa forma, se a pessoa está com o vírus ativo no corpo ou não. O trabalho é desenvolvido por dois professores pesquisadores, uma farmacêutica, uma bióloga e uma médica veterinária.

A inciativa é considerada fundamental pelo presidente da FUPF, professor Me. Luiz Fernando Pereira Neto. "Nós percebemos como espíritos como esse de cooperação conjunta e de solidariedade são importantes. E é só dessa forma que nós vamos conseguir superar mais rápido possível e também com a menor perda possível de vidas”, destacou. 

"A UPF produz conhecimento e tem uma enorme capacidade instalada, tanto em capital humano, quanto em infraestrutura, e, por isso, tem condições de, rapidamente, responder à demanda da Covid-19. Poder oferecer o serviço de diagnóstico, padrão ouro, para a identificação da doença, de forma descentralizada e ágil, é fundamental para a prevenção, controle e monitoramento da pandemia”, pontuou a reitora da UPF, Dra. Bernadete Maria Dalmolin.

Representando os municípios que fazem parte do convênio, o presidente da Ampla e prefeito de David Canabarro, Marco Antônio Oro, considera o trabalho fundamental. “Essas ações são importantes para que a gente possa ter o enfrentamento mais coerente, mais correto, na medida do possível sempre. Essas ações são fundamentais", disse. Ele ainda agredeceu em nome da Ampla. "Com isso a gente pode ter um diagnóstico mais próximo da realidade aqui na nossa região, um retrato fiel, real, do que está acontecendo nessa região”, afirmou. 

Prefeitos da região participaram da reunião (Foto: Divulgação)

Observatório Regional de Saúde

Além do convênio para diagnósticos, o encontro também teve uma breve apresentação sobre uma outra parceira que está sendo articulada: o Observatório Regional de Saúde. A demanda surgiu a partir dos prefeitos da Ampla, com o objetivo de buscar informações mais atualizados para o enfrentamento da pandemia. Segundo o coordenador, professor Dr. Julcemar Zilli, a iniciativa, em parceria com a empresa Cittá, auxilia no acompanhamento da evolução dos 11 indicadores das bandeiras, conforme o modelo do governo do Estado. “Diariamente a gente consegue informar os gestores como estão cada um dos indicadores e a evolução da doença, para que eles consigam definir as melhores estratégias e ações para enfrentamento da doença”, explicou. 

Conduzindo o encontro, o vice-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação professor Dr. Antônio Thomé encerrou a atividade ressaltando que os problemas relacionados à pandemia serão solucionados por meio da pesquisa, da inovação e da ação. “Agradecemos a vocês e nos colocamos a disposição para continuarmos essas parceria”, disse.

Além do presidente da Ampla, também participaram do encontro os prefeitos de Camargo, Eliani Mesacasa Trentin; Casca, Domingos Claudio Kujawa; Coxilha, Ildo José Orth; Gentil, Alcenir Dalmago; Marau Iura Kurtz; Santo Antônio do Palma, Lauro Gatto; São Domingos do Sul, Fernando Perin; Vanini, Flávio Gabriel da Silva; Nova Alvorada, Luciano Maronezi; Vila Maria, Maico Serafini Betto; e Erechim, Luiz Francisco Schmidt. Os vice-reitores de Graduação, professor Dr. Edison Alencar Casagranda; de Extensão, professor Dr. Rogério da Silva; e Administrativo, professor Dr. Cristiano Cervi também acompanharam a formalização do convênio.

Gostou? Compartilhe