A versão carioca de O Nacional

Colecionador adquire exemplares do semanário editado pelo jornalista Tarso de Casto nos anos 80

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A manchete ‘Neri Silveira, um golpista de 64 no TSE’, ao lado de uma foto provocante da atriz e cantora Mariana Moraes, neta de Vinícius de Moraes, com parte do seio de fora, estampavam a capa da edição zero da versão carioca do jornal O Nacional, publicado em outubro de 1986, sob o comando de uma das figuras mais polêmicas do jornalismo brasileiro: Tarso de Castro. 

Com editorial brizolista e uma tiragem de aproximadamente 70 mil exemplares, o semanário, em formato standard, durou pouco mais de um ano, mas entrou para a história do jornalismo alternativo do país. Na semana passada, três edições desta trajetória foram resgatadas pelo proprietário do Antiquarius de Passo Fundo, Wilson Pinheiro.

O material faz parte de uma coleção de 26 exemplares de jornais alternativos que pertencia à família do ex-governador do Rio de Janeiro, Francisco Negrão de Lima. Ele comandou o estado de 1965 a 1970 e faleceu no ano de 1981. Além de O Nacional, o acervo também traz edições do Jornal Repórter, Daily Planet e Planeta Diário. “Adquiri a coleção através dos familiares do ex-governador. Já recebi três exemplares de O Nacional, mas ao todo são oito” explica Pinheiro. Assim que a aquisição do material foi postada do site Clube dos Colecionadores, já surgiram interessados. Do Paraná, um ex-exilado no período da ditadura no Brasil já fez contato manifestando interesse na compra.

Time da pesada
A versão carioca de O Nacional chegou às bancas 61 anos após a publicação da primeira edição passo-fundense, ocorrida no dia 19 de junho de 1925. A data é lembrada na página 2, logo abaixo do artigo ‘Altas novidades para vocês’ de João Ubaldo Ribeiro. No texto, dividido em duas colunas, o escritor atacava o preconceito, como prenúncio de uma discussão que inacreditavelmente voltaria à tona no Congresso Nacional quase 30 anos depois. “O homossexualismo não é uma doença. O homossexual é um ser humano como outro qualquer com preferências diversas no terreno sexual, da chamada maioria heterossexual. Apenas isso. Procurar ver o homossexual a nível de doença é mais uma manifestação do preconceito que todos nós sabemos que existe, penalizando a noção de que, antes de tudo, o homossexual é um ser humano como nós e, portanto, merece ser amado e respeitado (Palmas, palmas)”, dizia um trecho do artigo de João Ubaldo.

A matéria completa você confere nas edições impressa e digital de O Nacional.  Assine Já

 

Gostou? Compartilhe