Alunos não ficarão sem aula, garante direção

Após intimação judicial para desocupar parte do prédio, uma estrutura provisória está sendo montada em outra parte do imóvel

Por
· 1 min de leitura
Imóvel leiloado na Justiça refere-se a um dos prédios da Rua Marcelino Ramos

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Após intimação judicial para desocupar parte do prédio, as atividades letivas para 250 alunos retornam normalmente na próxima segunda-feira (11) na Escola Círculo Operário Passo-fundense. Na tarde de segunda (4), em reunião entre pais e direção, foi deliberada a utilização de outro espaço do terreno para abrigar os alunos, provisoriamente. A estrutura começou a ser montada ainda na terça-feira, feriado de Carnaval. Na quinta e sexta-feira, a programação da escola contará com atividades lúdicas, com participação facultativa.

 

De acordo com a assessoria, a direção atual, que assumiu o comando da escola em setembro do ano passado, tem um projeto de expansão da infraestrutura em curso. A parte do imóvel leiloada por intermédio da justiça comportava a área administrativa, que também já está sendo realocada, e quatro salas de aula, no acesso pela Rua Marcelino Ramos.

 

Relembre

Na última sexta-feira, a direção do Círculo Operário foi intimada pela Justiça a desocupar parte do prédio da escola. Essa parcela do imóvel foi arrematada em leilão no ano passado e o comprador estava reivindicando a apropriação do local. A venda do prédio foi realizada em decorrência de uma ação de execução fiscal, que tramita na Justiça Federal de Passo Fundo, cuja União moveu contra a escola ainda em 1998. O processo refere-se a dívidas com a Previdência Social que ultrapassavam os R$ 2 milhões, contraídas em administrações passadas.

 

O Circulo Operário foi intimado a desocupar o local no dia 15 de fevereiro, data em que foi emitido o mandado de imissão da posse, com prazo de cinco dias para entrega do bem. A transferência do imóvel ficou agendada para o dia 25 de fevereiro, porém na data o oficial de justiça retornou à escola e foi informado de que como o ano letivo havia começado, estava em tratativas para locação do imóvel e por isso precisava de um prazo para formalização ou não do contrato. Com isso, o agendamento para entrega do imóvel foi postergado para tarde do dia 1º de março. As informações foram extraídas do processo que tramita na Justiça Federal de Passo Fundo. A reportagem contatou o arrematante do imóvel na sexta-feira (1º), mas o novo proprietário do prédio não quis se manifestar.

Gostou? Compartilhe