OPINIÃO

Café Fon Fon: um espaço para reverenciar a boa música

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O espaço é perfeito. Aconchegante e bem distribuído, permite que fiquemos próximos ao palco e possamos interagir com quem está nele.
O clima é intimista e alegre e o atendimento vem acompanhado da gentileza dos proprietários: Bethy Krieger e Luizinho Santos, dois músicos e compositores renomados, que há quatro anos, transformaram a cena cultural de Porto Alegre com a chegada do Café Fon Fon, um espaço multicultural destinado à promoção, valorização e fruição da música brasileira, em especial.
Se você gosta de jazz, bossa nova, música instrumental e música brasileira, não tem erro. O Fon Fon é perfeito.
Bethy e Luizinho sabem a diferença que a qualidade dos equipamentos faz no resultado de um trabalho e, por isso, investiram no que há de melhor. Além dos equipamentos de primeira linha, um piano de cauda Yamaha e uma bateria Ludwig completa estão sempre no palco para a alegria dos músicos que por ali passam. E dos ouvintes, é claro, que dedicam o devido respeito e silêncio quando os acordes começam a soar.
O Café Fon Fon tem como principal atrativo, a qualidade musical. No palco, os dois músicos recebem diferentes convidados que também fazem parte do cenário da música instrumental da Capital. Além de shows de artistas consagrados que procuram o local por sua boa estrutura de palco, o Fon Fon se tornou uma referência pelo respeito com que todos os artistas são tratados.
Nomes como Kiko Continentino, Rafael Vernet, Cristovão Bastos, Paulo Dorfman, Gastão Villerroy, Michel Dorfman, Cezinha do Acordeon, Adriana Defenti, Paulinho Fagundes, Luciano Maia, Pedro Tagliani, Jorginho do Trompete e vários grupos renomados fazem parte das mais de 300 apresentações já realizadas neste palco.
Nada melhor do que poder ouvir boa música acompanhada de boa gastronomia. O espaço cultural também é um atrativo gastronômico. Pizzas, quiches, empanadas, escondidinhos, espumantes, cervejas, sucos orgânicos, vinhos, além de cafés e chás, torta de banana, de limão e cheesecake de morango. Grande parte destes pratos é preparada pela própria Bethy, o que torna tudo mais gostoso.

Prêmio

O Café Fon Fon foi premiado em 2015 com o Prêmio de Programação Continuada para Música Popular da Funarte e terá além de toda sua rica programação, diversas atrações com ingressos a preços populares, com cinco artistas locais e três nacionais de carreira reconhecida, com repertório de música brasileira. O projeto está previsto para durar 6 meses, com pelo menos uma atração mensal e inicia no dia 14 de julho.
Os artistas escolhidos, Fernando Corona, Dúnia Elias, Catarina Domenici, Pedro Tagliani, Karen Wolkmann, Leandro Braga, Conrado Paulino e Eduardo Neves, formam uma parcela representativa da diversidade, da qualidade e da pluralidade de gêneros musicais que se produzem no País, entre os quais se destacam o choro, o samba, a bossa nova, a milonga, a canção.
Parte do valor do prêmio também será utilizada para proporcionar um espaço ainda mais confortável e adequado aos diversos públicos e qualificar a infra-estrutura para as apresentações.O valor de R$ 10,00 é atrativo e atua como um formador de consciência do público, na medida em que o ingresso gratuito não contribui para reconhecimento e valorizado artista, que precisa e merece ser remunerado pelo seu trabalho.

Funcionamento

O Café Fon Fon fica na rua Vieira de Castro, n 22 , entre a José Bonifácio e Venâncio Aires, em Porto Alegre, e abre de quinta a sábado das 20h às 24h e, nos domingos, das 17:00 às 24:00h.
O valor do couvert artístico varia de acordo com o show, com exceção dos espetáculos que farão parte do Projeto da Funarte, quando o ingresso será fixo em R$10,00.

Gostou? Compartilhe