OPINIÃO

Coluna Saul - 19/02/2013

Por
· 3 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Corsan
A Companhia tem tido regras rígidas para ligação de água em residências ou comércio. Ao mesmo tempo que acredito ser desnecessário o pedido de alguns documentos, defendo que este sistema protege os proprietários e coíbe possíveis invasões.

Corsan II
O sistema, porém privilegia invasores de espaços públicos, espaços privados e até mesmo ruas. Sei que isto não é de responsabilidade da Corsan, pois a própria RGE facilita também a instalação dos serviços sem nenhuma segurança para o proprietário. Acredito que deveria ser mais rígido, pois a rapidez no atendimento e instalação de água e luz tem favorecido aqueles que invadem ou ocupam. A própria prefeitura emite número para a Corsan instalar água em áreas ocupadas irregularmente.

RGE
Tem que operacionalizar mais o atendimento de ligação de novas contas de energia. O cidadão faz o pedido e a RGE envia a equipe, que olha e anota alguns itens que devem sofrer correções. O usuário corrige e novamente agenda a visita e qual a surpresa: Tem que fazer novas correções. Olhe bem olhado na primeira e anote tudo que precisa ser corrigido. E dialogue de forma popular com a comunidade. Quem paga a conta é sempre o povo.

Popularizar
È necessário a RGE popularizar mais suas regras, pois seguidamente sofrem mudanças e quem acaba por pagar este preço é o cidadão. Toda hora tem mudança. Outra questão é investir em modernização em áreas que desenvolvem, pois os transformadores de algumas vilas são do tempo do Coronel Edu Vila de Azambuja.

Creches
Alguns me chamam a atenção que não é creche e sim escola infantil e estão certos. Creche ou escola a questão é da necessidade de debater o horário e também os dias sem aula. Se este tema não fosse tão importante o então candidato Luciano Azevedo teria fracassado na sua intenção de chegar aos lares através de duas propostas de campanha. Chegou e foi vitorioso, pois abordou um tema que influencia as famílias no seu cotidiano.

Creches II
Além de horários alternativos é importante debater a questão do calendário dos dias sem aula. Mesmo sabendo da importância das qualificações, temos que reconhecer que os pais trabalham e possuem horários a cumprir. Sei da habilidade que o Prefeito Luciano e seu secretário para resolver estas questões.

Cecconello
Coordena no Estado o orçamento participativo e sua capacidade de integração das lideranças fará com que colhamos frutos em Passo Fundo. É necessário termos lideranças para defender nosso projetos no Estado e pela experiência de ceconello não teria nome melhor. Parabéns.

Atendimento
Desde 1989 convivo com a política em Passo Fundo e já passamos por seis gestões de Prefeito e estamos na sétima. Começamos no final do Governo Carrion pedindo água para o Schisler e luz para a Ipiranga. O Prefeito mantém boa vontade e imparcialidade em suas decisões, mas alguns subordinados acabam por partidarizar serviços e atendimentos. Impressionante, pois as pessoas se apossam do que é público como se fosse seu e desta forma atrapalham a comunidade e prejudicam o mandato do chefe.

Médicos
Manter médicos nos ambulatório não é tarefa fácil. O Secretário Luis Arthur anunciou a contratação de médicos para suprir atendimento de ambulatórios e no inicio da semana já marcou a saída de profissionais de alguns postos. O motivo principal é outras opções de trabalho com remuneração maior. Ontem o Ambulatório Adolfo Groth com mais de 8.000 pessoas em sua região ficou sem atendimento.

Salários
Outra questão nada fácil é a remuneração dos demais profissionais da saúde, em Passo Fundo, estado e Brasil, pois ficam abaixo da critica. Alguns casos na região o salário é o dobro em comparação com Passo Fundo. Na lista os enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos e também agentes de saúde. Tarefa difícil, mas necessária de ser enfrentada.

Sindicatos
Vejam que os profissionais pagam para o Senalba três parcelas de R$ 92.00 (abril, setembro e dezembro) e caso envie uma carta solicitando a suspensão do pagamento o sindicato desconta apenas uma das três parcelas. Já no Coren o desconto anual para os enfermeiros é de R$ 245,00 e técnicos de R$ 170,00. O que estas duas entidades fazem para defender os direitos dos profissionais e melhorar as condições de trabalho?

Patussi
O Vereador Márcio Patussi (PDT) tem se notabilizado como uma grande liderança do PDT e mostra que veio para ocupar espaços de dialogo dentro da oposição. Na Presidência do Legislativo por conta da ausência do amigo Márcio Tassi, Patussi mostrou amadurecimento e trânsito com as entidades. Parabéns.

Gostou? Compartilhe