OPINIÃO

Como os pais podem ajudar na alfabetização de seus filhos?

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Stéfanie Rozin é fonoaudióloga e especialista em Gestão de Pessoas

O cérebro humano foi criado para observar o ambiente e apreender o que for importante para a sobrevivência do indivíduo. Ele só prestará atenção no que for julgado relevante ou com alto grau de significado. No que diz respeito ao processo de apropriação da leitura e escrita, terá mais chance de ser considerado como algo significativo e, reter a atenção, aquilo que faça sentido no contexto em que a criança vive, que tenha ligações com o que já é conhecido e que atenda às suas expectativas, ou ainda, que seja estimulante e agradável.

No intuito de prevenir futuros problemas de alfabetização, os pais podem tornar o ambiente de convivência da criança repleto de atos de leitura e escrita, de forma a inseri-la no mundo das letras desde cedo. Assim, deixar o ambiente doméstico mais “alfabetizador”, inserindo a criança em atividades rotineiras de leitura e escrita, pode exaltar o quanto elas serão importantes na sua vida.

Deixar recadinhos na porta da geladeira, escrever cartas e estimular a criança a fazer o mesmo (mesmo que saiam apenas rabiscos); preparar receitas culinárias na presença da criança chamando-a para ler ou tentar ler a receita, fazendo com que ela presencie o contato com a língua escrita e suas diversas funções. Ainda, ler histórias para os pequenos diariamente, de modo que percebam que a leitura se faz da esquerda para a direita, ajudando-os a diferenciar o que é letra e o que é desenho, começando a notar que as palavras são escritas separadamente formando frases com sentido. Num ambiente alfabetizador, ser um modelo de leitor é premissa básica, pois uma casa com pessoas que manuseiam diferentes livros, jornais e revistas, encorajam o ato da leitura.

Outra questão interessante é a leitura dos rótulos das embalagens consumidas em casa, assim como da lista de compras do supermercado. Pedir à criança que ajude a preencher a lista com o pai e a mãe, onde se anota no papel as coisas que serão compradas, para consultar lá no mercado, relacionando a linguagem oral com a escrita. É comum crianças em processo de alfabetização tentarem ler placas, letreiros, panfletos de rua. Atitude que deve ser encorajada pelos pais, como na parada de ônibus solicitar a ajuda do filho para ler o destino do ônibus que está vindo. Fazer convites de aniversário com a criança desde seu primeiro aniversário, repetindo nos anos seguintes até que ela própria irá escrever sozinha com sua letrinha. A agenda telefônica é um bom objeto a ser explorado, pois mostra claramente o que é texto e o que é número, com a função de cada um deles: o texto usado para escrever os nomes e o número para informar o telefone.

Investir num ambiente alfabetizador é importante para que as crianças ganhem intimidade com a língua escrita e desta forma, encontrem familiaridade e atribuam maior importância ao ato de ler e escrever. O uso efetivo da comunicação falada e escrita dentro do ambiente familiar, onde a leitura é hábito diário e valorizado, pode evitar futuros problemas de alfabetização e incentivar a criança a entrar no mundo das letras fazendo bom uso delas, tendo prazer em apropriar-se deste conhecimento, que lhe será primordial o resto da vida.

Gostou? Compartilhe