Confirmado segundo caso de coronavírus em Passo Fundo

A vítima, um homem de 19 anos, está em isolamento domiciliar e apresenta bom estado de saúde

Por
· 4 min de leitura
Crédito:

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou, nessa terça-feira (31), o segundo caso positivo para coronavírus em Passo Fundo. O homem, de 19 anos, está em isolamento domiciliar e apresenta bom estado de saúde. A suspeita é de que ele tenha contraído o vírus ao ter entrado em contato com um caso confirmado de outro município – a pasta declarou que a cidade de residência do contato em questão não será revelada por se tratar de informação sigilosa. As pessoas com quem o homem teve contato também estão isoladas e sendo monitoradas pela Vigilância Epidemiológica dos seus municípios de residência.

O rapaz passo-fundense relatou ter apresentado sintomas no dia 16 de março, buscando atendimento no dia 20 do mesmo mês, quando foi realizada a coleta para o exame. O resultado foi divulgado pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (Lacen) na manhã de ontem. De acordo com a secretária de Saúde do município, Carla Gonçalves, o jovem não possui comorbidades e, portanto, não faz parte do grupo de risco considerado mais vulnerável ao Covid-19.

A aparição do segundo caso acontece seis dias após ter sido divulgado o primeiro caso positivo do novo coronavírus no município. O primeiro infectado, um homem de 29 anos, havia viajado a Santa Catarina no dia 15 de março e, dois dias após a viagem, relatou a aparição de sintomas como febre alta, dor no corpo e perda de olfato. No dia 20 de março, ele retornou a Passo Fundo, buscou atendimento em um dos hospitais da cidade e realizou o teste que confirmou a infecção por coronavírus. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, o homem segue em isolamento domiciliar, respeitando a orientação do Ministério da Saúde, que determina um isolamento de 14 dias a contar da data de início dos sintomas.

 

Número de internações tem crescido diariamente

De acordo com o novo boletim epidemiológico de Covid-19, que leva em consideração levantamento realizado até as 12h do dia 31 de março, o município aguarda resultado do teste de 42 casos suspeitos de coronavírus. Outros 53 casos, que eram considerados suspeitos, testaram negativo para Covid-19 e, por isso, foram descartados. O relatório divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde aponta, ainda, que o número de pacientes hospitalizados em instituições de Passo Fundo, com suspeita de coronavírus, tem crescido diariamente. Até as 12h de terça-feira, 28 pessoas estavam internadas no município, aguardando resultado do teste. Na segunda-feira, eram 24 casos. No domingo, 20. “O número de pessoas internadas com suspeita de Covid-19 continua aumentando. E nem todas são de Passo Fundo. Muitas delas são pessoas que vêm de outros municípios, transferidas pelo Sistema de Regulação Estadual. Essa informação vai nos dando um indicativo de que o número de casos pode estar aumentando na região”, avalia a secretária.

Até o momento, a 6ª Coordenadoria Regional de Saúde, que abrange 62 municípios da região, possui sete casos confirmados por meio de exame laboratorial. São dois em Passo Fundo, três em Serafina Corrêa, um em Marau e um em São Domingos do Sul. Por ora, nenhum óbito em decorrência do vírus foi identificado na região. Já a nível estadual, até o fim da manhã de terça-feira, o Rio Grande do Sul registrava 274 casos de Covid-19, dos quais quatro evoluíram para óbito.

 

Falta de testes dificulta a tomada de decisões

A grande limitação para avaliar com mais precisão o quadro de evolução da doença em Passo Fundo, ainda segundo Gonçalves, é a demora nos resultados dos testes para Covid-19, além da subnotificação de casos causada pela falta de testes suficientes para atender toda a população. “O nosso principal parâmetro para avaliação seria o número de notificações. A questão é que os critérios do Ministério da Saúde determinam a coleta para análise no Lacen somente dos profissionais de saúde que apresentem sintomas ou, então, de pessoas que chegam aos hospitais de referência com síndrome respiratória aguda grave. O problema é que, dessa forma, nós não conseguimos testar de forma mais ampla. Hoje, potenciais casos, que buscam atendimento na atenção básica mas não têm síndrome grave, não podem ser testados”, pondera.

É por esse motivo que a Prefeitura Municipal de Passo Fundo tomou a iniciativa de comprar insumos para que a Universidade de Passo Fundo (UPF) possa produzir os testes para detecção do vírus causados do Covid-19, até então realizados pelo Ministério da Saúde. O objetivo é ampliar a testagem, nas próximas semanas, e ter mais agilidade nos resultados. Conforme ressaltou o prefeito Luciano Azevedo, a falta de diagnósticos precisos prejudica a tomada de decisões, pois sem os testes não é possível saber até que ponto o vírus se espalhou, nem diferenciar quem está com o coronavírus de pessoas apenas com sintomas semelhantes. "A ampliação da testagem nos dará informações em relação à situação local, permitindo a definição de estratégias de isolamento das pessoas contaminadas com o vírus e evitando a disseminação da doença", complementou a secretária municipal de saúde.

 

Prefeitura faz trabalho de desinfecção de pontos estratégicos

Ainda como forma de enfrentar a pandemia de Covid-19, a Prefeitura de Passo Fundo iniciou a desinfecção de pontos estratégicos da cidade. Na noite da última sexta-feira (27), a limpeza foi feita nos acessos do Centro de Atendimento Integral à Saúde (Cais) do Bairro Petrópolis, que recebe pessoas com sintomas gripais, e dos hospitais. Conforme o secretário de Transportes e Serviços Gerais, Cristiam Thans, a equipe que opera na ação recebeu orientações da Vigilância Epidemiológica e passou por treinamento. “Fizemos a desinfecção de rampas, calçadas, corrimãos e demais objetos que podem armazenar o vírus e ser uma porta de transmissão”, destaca. A ação terá continuidade e, na semana que vem, com apoio de empresas e voluntários, será em outros locais da cidade.

Gostou? Compartilhe