Cresce número de acidentes no perímetro urbano

Desde o início do ano, pelo menos sete pessoas morreram em acidentes registrados em Passo Fundo

Por
· 3 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O número de pessoas mortas em acidentes de trânsito no perímetro urbano em Passo Fundo é maior que o índice registrado em 2012. Somente durante o mês de maio, foram três óbitos nas ruas da cidade, sendo duas mortes por atropelamento e uma em um acidente envolvendo uma motocicleta e uma bicicleta. Ao todo, seis pessoas morreram desde o início do ano.

Do total de mortes, os atropelamentos correspondem a 50 % dos casos. As outras ocorrências que terminaram em óbito foram uma colisão entre um ônibus e uma motocicleta, além do acidente envolvendo a motocicleta e a bicicleta e outra colisão envolvendo uma motocicleta e um automóvel que resultou em duas mortes.

Segundo o subcomandante do 3° RPMon da Brigada Militar, major Eriberto Branco, os índices de acidentes com vítimas tiveram um leve acréscimo em 2013, em comparação ao ano passado, sendo que no mês de fevereiro houve uma redução , ao contrário dos outros meses. “A Brigada Militar tem realizado a fiscalização dos veículos, dos condutores e das condições dos veículos”, disse. Ainda conforme o major, o aumento da frota de veículos e da população tem impacto direto no aumento dos acidentes e por consequência, do número de vítimas. “A cada ano há um acréscimo do número de veículos e de pessoas circulando. A tendência seria de que estes índices sempre aumentem”, disse.

Para o subcomandante do 3º RPMon, a Operação Balada Segura realizada nas madrugadas auxilia na redução do índices de acidentes, já que este era o horário que registrava o mais alto índice de acidentes com feridos e mortos dentro do perímetro urbano, retirando de circulação motoristas embriagados ou que estejam trafegando de forma irregular. “Diminuíram os acidentes durante a madrugada, em que tínhamos esta mistura de álcool e direção, especialmente no intervalo entre as 5h e 7h. Em se tratando de segurança pública, dificilmente será possível erradicar alguma coisa, mas estes números atualmente são bem mais agradáveis. Os acidentes nestas circunstâncias muitas vezes envolvem pessoas que estão saindo para o trabalho e acabam vítimas de alguém embriagado. Mas atualmente, o nosso horário crítico é em torno das 2h. A Balada Segura auxilia não só na redução dos acidentes, mas também mudou uma cultura que as pessoas tinham de sair embriagadas de uma festa, uma casa noturna e dirigir alucinadamente, isto felizmente mudou”, afirmou.

Vítimas fatais

3 de janeiro – Um acidente na Rua Fagundes dos Reis na Vila Fátima envolvendo uma motocicleta e um automóvel matou os jovens Dionatan Fortes do Nascimento, de 20 anos e Patrick Santos Lima, de 19, que estavam na motocicleta. Dentro do automóvel Gol que colidiu contra a motocicleta das vítimas foram encontradas três garrafas de vodka.

13 de janeiro - Renil Coleraus da Silva, de 42 anos, morreu durante a noite do dia 13 de janeiro no hospital após ser atropelado na Rua Alegrete, no bairro Hípica. O motorista do Fusca azul que atropelou Renil foi localizado e identificado três dias depois por agentes da Delegacia de Delitos de Trânsito. Ele fugiu do local do acidente após o atropelamento.

30 de janeiro – Grávida de quatro meses, Juliana Rosa de Freitas Pavin, de 22 anos, morreu após a motocicleta em que estava colidiu contra um ônibus, no cruzamento da Avenida Brasil com a Rua Ângelo Preto. Ela chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada ao Hospital da Cidade, mas acabou falecendo após sofrer três paradas cardíacas.

4 de maio – Mulher de 52 anos morreu após ser atropelada por um automóvel na avenida Brasil no bairro Petrópolis.

17 de maio – A estudante Suelen Costa da Silva foi atropelada por um automóvel Toyota Corolla enquanto atravessava a Avenida Brasil, no bairro Petrópolis. Suelen foi socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e acabou falecendo no Hospital da Cidade.

30 de maio – A colisão envolvendo uma motocicleta e uma bicicleta na Rua Fagundes dos Reis no bairro Vergueiro matou o ciclista Alceu de Almeida e Silva, de 61 anos. Ele chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas faleceu no Hospital da Cidade. A identidade da vítima só foi descoberta 12 horas após o acidente. O condutor da motocicleta, de 20 anos, recusou-se a fazer o teste do etilômetro, sendo encaminhado ao hospital para a realização do exame clínico, mas acabou fugindo.

5 de junho – Dilson Pereira, de 54 anos, morreu após ser atropelado por um automóvel Santana na noite do dia 5 de junho na Avenida Rio Grande, no bairro Vera Cruz. Depois de ser atingida pelo Santana, a vítima ainda foi atropelada por outro veículo, que vinha logo atrás. O motorista do Santana fugiu e o do Crossfox que também atingiu Dilson parou no local para prestar socorro. O motorista do Santana foi localizado pela Patrulha Rural da Brigada Militar no dia seguinte ao atropelamento na localidade de São Valentim, no interior de Passo Fundo. Ele foi encaminhado à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento e afirmou que não prestaria depoimento e só se pronunciaria em juízo.

Gostou? Compartilhe