OPINIÃO

Dança da cadeira

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Empossado no cargo de prefeito na sessão extraordinária da Câmara de Vereadores de Sertão na noite de quarta-feira (19), Adelar Mossi Antunes (PP) está se inteirando da real situação do município. Na manhã seguinte ele assinou inúmeras portarias exonerando cargos de confiança e pelo menos um secretário. O vale refeição do funcionalismo, que recebeu os salários de setembro, também foi liberado pelo novo chefe do poder executivo.

I I
Recolhido ao Presídio Estadual de Getúlio Vargas desde o início de outubro Marcelo D’Agostini renunciou ao cargo na manhã de quarta-feira (19). A carta de renúncia, protocolada no final da manhã na Câmara de Vereadores, foi lida em plenário durante sessão extraordinária presidida por João Paulo Petry Menezes (PDT). Durante a breve sessão o vice-prefeito Adelar Mossi Antunes (PP) prestou juramento, oficializando sua posse a frente do governo municipal.


I I I
Investigado pela Operação Confins, deflagrada em maio do ano passado, o agora ex-prefeito Marcelo D’Agostini é acusado de crimes licitatórios, contra a administração pública, de responsabilidade e contra a administração da Justiça. Até sua prisão já haviam sido oferecidas uma dezena denúncias, duas delas já tramitando na 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça. O Ministro Neffi Cordeiro, do Supremo Tribunal de Justiça negou recurso que pedia sua liberdade.


I V
O fato que envolve a prisão de um prefeito e sua renúncia é inédito entre os municípios de abrangência da 70ª Zona Eleitoral. Marcada por uma relação tumultuada com o Partido Progressista, legenda pela qual Marcelo D’Agostini foi eleito em 2012, deixou a sigla e chegou a se filiar ao PTB. Agricultor presidiu o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Sertão e foi vice-prefeito na administração de Aldemir Sachet (PP), que não apoiou seu nome para sucessão. As previsões que não terminaria o mandato se cumpriram agora, a 74 dias da posse no prefeito eleito em dois de outubro.


Curtas:
# Os convites para o ato solene de entrega da restauração da Sala de Sessões da Câmara de Vereadores de Getúlio Vargas estão sendo distribuídos.
# De acordo com o convite, assinado pelo presidente da Câmara, vereador Vilmar Antônio Soccol (PTB), a solenidade será realizada às 18h30min horas do dia 27 de outubro.
# Reeleito vereador com 795 votos, Vilmar Antônio Soccol integrou o primeiro escalão do governo Prezzotto/Soligo como Secretário do Meio Ambiente.
# Vereador mais votado, com 7,70% dos votos válidos, Soccol já avisou Maurício Soligo (PP), prefeito eleito, que pretende exercer o mandato na próxima legislatura.
# Revelou a este escriba que será candidato a presidente da Câmara de Vereadores em 2017, o primeiro da próxima legislatura.
# Com representante na Câmara de Vereadores de Getúlio Vargas desde 1989, quando elegeu Altivir Luís Scariot, o PT não vai integrar a legislatura 2017 – 2020.
# Vivendo uma crise sem precedentes desde sua fundação no ano de 1980 o partido da estrelinha vermelha terá que se reinventar para sobreviver.
# Os votos obtidos por Dino Giaretta, candidato a prefeito de Getúlio Vargas em dois de outubro, foi muito mais por afinidade pessoal do que partidária.
# Para a majoritária o PT recebeu 1.874 votos e os candidatos a vereador apenas 767 votos.
Dito & Feito:
O prefeito e vice-prefeito eleitos de Sertão Edson Rossatto (PMDB) e Carlos Antônio Bernieri (PMDB), respectivamente, e o vereador Ilson Serro estiveram em Porto Alegre. Na companhia do deputado estadual Gilberto Capoani (PMDB), que por três mandatos governou o município, participaram de audiência com o Chefe da Casa Civil, deputado Márcio Biolchi (PMDB). Na pauta interesses da comunidade sertanense.

Gostou? Compartilhe