Destinado terreno para Escola Municipal de Autistas

Comissão busca verba para construção de novo prédio no bairro Luiz Secchi

Por
· 2 min de leitura
A comissão aguarda a liberação de uma verba estimada em R$ 500 mil reais

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma força coletiva constituída por representantes da Associação dos Amigos da Criança Autista de Passo Fundo (AUMA), pela Comissão de Cidadania, Cultura e Direitos Humanos (CCCDH) e Poder Executivo Municipal deu início à gestação de projetos voltados à captação de recursos para a construção da sede própria da Escola Municipal Olga Caetano Dias, que dedica-se à educação de crianças autistas. 

 

Durante reunião realizada na quarta-feira (24), confirmou-se a destinação de um terreno, na Avenida Zero Hora, no bairro Luiz Secchi, para abrigar as futuras instalações do educandário. “Agora precisamos captar verbas. O projeto já foi entregue por um arquiteto voluntário”, comenta o presidente da CCCDH, vereador Saul Spinelli (PSB).
O centro de ensino, localizado dentro do Santuário Nossa Senhora Aparecida, às margens da RST 153 – km 3, é uma das poucas instituições especializadas na educação de autistas no Rio Grande do Sul e é responsável pelo atendimento, em média, de 68 alunos com a síndrome, no município. Entre eles, Ederson Peres Drebes, de 18 anos, e há onze diagnosticado com autismo.

 

O pai do estudante e presidente da AUMA, Emerson Drebes, soma-se aos integrantes da comissão especial para que um novo espaço esteja acessível ao trabalho de educação inclusiva. “Cada autista tem a particularidade própria. Se eles param de fazer terapia, regridem. A constução de uma sede vai proporcionar a evolução na qualidade de vida deles”, menciona.

 

A escola, no entanto, já esteve abrigada no Bosque Lúcas Araújo. O prédio foi construído há 18 anos, a partir de uma iniciativa de pais responsáveis por crianças autistas. “Além do educandário, um Centro de Atendimento ao Autista estará anexado nesse novo projeto porque é necessário uma estrutura especial”, conta Drebes. Segundo ele, a cada sessão da Associação dos Amigos da Criança Autista de Passo Fundo, novas famílias se unem ao grupo após receberem o diagnóstico em algum integrante do núcleo familiar. “Três novas famílias se juntaram na reunião, no último encontro, e quatro começarão no próximo”, revela.

 

O vereador Saul Spinelli (PSB) afirma que a comissão aguarda a liberação de uma verba de emenda parlamentar, destinada pela então deputada federal Yeda Crusius (PSDB), de cerca de R$ 500 mil, para a obra de construção da nova sede da Escola Municipal de Autistas. “Também esperamos uma indicação do deputado Alceu Moreira (MDB/RS). Mas, ele ainda não definiu valores”, anuncia.

 

De acordo com o parlamentar, em junho haverá uma nova reunião para estudar o orçamento da obra. Segundo a Secretária Municipal de Planejamento (Seplan), Ana Paula Wickert, o anteprojeto apresentado pela AUMA, elaborado por parceiros voluntários, necessita de ajustes e de especificações para que tenha condições de ser licitado. A previsão é de que este trabalho seja concluído até julho de 2019.

Gostou? Compartilhe