OPINIÃO

Dieta desequilibrada e o aumento do risco de câncer

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A ligação entre alimentação e o surgimento ou agravamento de várias doenças está mais evidente. E o oposto também: cada vez mais estudos provam que alguns alimentos podem melhorar a saúde.
No caso do câncer, não só o consumo em excesso e por longos períodos de alguns alimentos, como até mesmo o modo de prepará-los, pode colaborar para que a doença surja. Neste grupo entrariam gorduras e frituras, por exemplo.
Os apreciadores da carne bem passada e escura do churrasco correm riscos, pois este tipo de carne tem a presença de nitrosaminas, compostos químicos cancerígenos. O ideal é que a ingesta de carne vermelha seja menor do que 500 gramas por semana.
Já sabemos que a alimentação tem forte relação com câncer de intestino, estômago, próstata e da mama. Mas a alimentação não age sozinha. O que importa é o comportamento geral da pessoa, sendo que o sedentarismo, uso abusivo de álcool e tabagismo são fatores importantes. A doença surge quando não há um equilíbrio no organismo, o que causa também obesidade, sobrepeso e diabetes.
Até 50% e 60% dos casos de câncer surgem por alteração ambiental ou externas, e uma das principais é a alimentação desequilibrada. Talvez este seja um dos fatos que apontam a região sul do país com um alto índice de câncer.
Devemos evitar o consumo em excesso de carnes vermelhas, embutidos (presunto, linguiça e salsicha), priorizar carnes brancas, frutas e verduras. Tambem não manter somente uma alimentação saudável, mas relacionar isso com estilo de vida saudável (baixa ingesta de álcool, não fumar, evitar sedentarismo, obesidade e diminuir consumo açúcares). É uma somatória de fatores.
O uso bem ponderado de vinho pode ser protetor. Assim como nas doenças cardiovasculares, os flavonoides presentes nesta bebida, parecem ter um efeito anti-tumoral. Eles agem como um antioxidante.
Muito importante também, é que pessoas com histórico familiar de câncer, além dos cuidados alimentares, fiquem atentas aos possíveis sinais e façam os exames preventivos, sempre com acompanhamento médico.

 

Gostou? Compartilhe